por Aguinaldo Gabarrão (*)

O vazio existencial de jovens sul-coreanos, a dificuldade de enxergar caminhos ou encontrar possibilidades de expressão de seus talentos no presente e, principalmente no futuro, não é muito diferente de outros jovens, independente de país, cultura ou língua. E essas incertezas demarcam a trajetória e impulsionam as ações de três personagens no filme “Em Chamas”.

O jovem Jongsu (Ah-in Yoo) é entregador de produtos. Durante seu trabalho, encontra Haemi (Jong-seo Yun), uma antiga vizinha. Ela precisa viajar para a África e pede a ele que cuide de seu gato. Quando Haemi volta de viagem, apresenta ao entregador o enigmático Ben (Steven Yeun), jovem que conheceu durante a temporada africana e que revelará um estranho hobby por ele praticado.

Roteiro adaptado === O roteiro escrito pelo diretor Lee Chang-Dong, em parceria com Jungmi Oh, foi baseado no conto “Queimar Celeiros”, do livro “O Elefante Desaparece”, do autor Haruki Murakami, que também assina a adaptação para o cinema.

O mesmo autor japonês também já teve sua obra adaptada para o teatro aqui no Brasil em 2013, no Sesc Pinheiros, com a direção da cineasta Monique Gardenberg e Michele Matalon.

Um simples pedido === A engenhosidade do roteiro está, entre outros méritos, em respeitar o princípio das obras de Murakami: começar com situações cotidianas e, a partir daí, ganhar em complexidade, sem que em nenhum momento se perca num emaranhado intrincado e difícil de acompanhar.

Com o avanço da história, situações quase irreais se apresentam e desafiam o raciocínio do público. O que o jovem entregador Jongsu acredita estar acontecendo é fato ou encontra-se no campo da sua imaginação?

A liberal dançarina Haemi, o misterioso Ben, espécie de playboy, que vive “do jogo”, segundo suas palavras, e o estudante de escrita criativa, Jongsu, são três personalidades deslocadas em seu próprio meio que buscam, à sua maneira, sobreviver no jogo de gato e rato estabelecido inconscientemente entre eles.

Atmosfera asfixiante === A direção de Lee Chang-Dong, estabelece uma cadência na qual a sequencia de situações obrigam o público a construir, por inferência, o que motiva aquele trio, e a bela fotografia de Kyung-pyo Hong cria a sensação quase onírica de que a realidade percebida pode enganar ou, pelo contrário, ressaltar a verdade de cada personagem.

Esse jogo proposto pelo roteiro e a boa direção de Lee, deram ao filme “Em Chamas” a honra de representar o cinema sul-coreano no Oscar 2019 e apresentar na telona a galeria interessantíssima de personalidades contemporâneas de Haruki Murakami, mergulhadas na solidão existencial e em suas estranhezas mais secretas e, por vezes, destruidoras.

Assista ao trailer do filme:

FICHA TÉCNICA

EM CHAMAS (Título Original: Buh-Ning)  === Distribuição: Pandora Filmes

Direção: Lee Chang-Dong / Roteiro: Lee Chang-Dong, Jungmi Oh, Haruki Murakami / Direção de Fotografia: Kyung-pyo Hong / Designer de Produção: Jum-hee Shin / Direção de Arte: / Figurino: Lee Choong-yeon / Trilha Sonora: Mowg / Montagem: Da-won Kim, Hyun Kim / Figurinos: / Produção: Soo Jin Hwang, Joon-dong Lee, Gwang-hee Ok, Lee Chang-Dong / Co-produção: NHK / Estúdios: Pine House Film, Now Films

Elenco: Yoo Ah-in, Jong-seo Jeon, Steven Yeun, Soo-Kyung Kim

Gênero: Drama, Suspense / Duração: 2 horas e 28 minutos / Cor: colorido

Classificação indicativa: 16 anos / País: Coréia do Sul / Ano de Produção: 2018

Lançamento: 15 de novembro de 2018


(*) Aguinaldo Gabarrão, ator. Trabalhou com diretores de diferentes estilos e gerações. Adora cinema. Atua também no segmento corporativo por meio de cursos, treinamentos e palestras com as técnicas do teatro.


Nota da Redação: As críticas publicadas neste espaço são de inteira responsabilidade de seus autores. As opiniões nelas emitidas não exprimem, necessariamente, o ponto de vista do “DiárioZonaNorte” e nem de sua direção.


sicredi_institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora