da Redação DiárioZonaNorte ===

Nesta 5ª feira (10/01/2019), às 11 horas, foi a primeira reunião de um governador com o presidente Jair Bolsonaro, em Brasília. Ela foi realizada no Centro Cultural Banco do Brasil e teve a duração de uma hora. O presidente recebeu oficialmente o governador de São Paulo, João Doria, que esteve ao lado dos Secretários da Fazenda (Henrique Meirelles), da Agricultura ( Thomaz Diniz Junqueira), do Transportes e Logística (João Octaviano Machado Neto), do Secretário Especial em Brasília ( Antonio Imbassahy), da Deputada Federal Joice Hasselmann; além da ministra da Agricultura Tereza Cristina e do ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes.

Na conversa, Doria falou sobre dois assuntos principais para a cidade de São Paulo:  o Projeto Ceagesp e o Campo de Marte, que são assuntos vindos de sua gestão como prefeito. E dois assuntos mais gerais e econômicos: o Fórum de Davos, que acontece nas próximas semanas com as presenças do presidente e do governador; e mais o posicionamento politico e favorável à Reforma da Previdência.

O fim do Campo de Marte === Ao término do encontro, o governador João Doria disse,  em entrevista coletiva, que expôs ao presidente o projeto do Parque Campo de Marte nos seus 420 mil metros quadrados – que foi desenvolvido em seu governo municipal e que “está assinado e homologado” (reportagem do DiárioZonaNorte  em 24/10/2017 – ver aqui e também em 07/08/2017 – ver aqui), que preservará o Hospital e todas as instalações da Aeronáutica e do  PAMA, agregando  um Colégio Militar e um Museu Aeroespacial. Falou também do parque e das vantagens para “os moradores da Zona Norte como uma nova área de lazer”. Mas foi direto ao pedido de encerrar as atividades do Campo de Marte, que “está em local que não permite mais os pousos e decolagens, tendo ocasionado alguns acidentes com mortes afetando os moradores”. Por outro lado, ainda lembrou que as “pistas do Campo de Marte” serão conservadas e poderão virar espaços poliesportivos. Segundo o governador, o presidente indicou o Major-Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno, que é o Chefe de Gabinete do Comando da Aeronáutica (GABAER), para ser interlocutor do governo federal e dar as providências necessárias junto ao Ministério da Defesa, governo federal, governo estadual e Prefeitura de São Paulo.

O que será da Ceagesp === Quanto à Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), o governador João Doria disse que propôs ao presidente Jair Bolsonaro a retomada das negociações para a privatização do espaço que pertence ao governo federal, que está avaliado em 3 a 4 bilhões de reais. Está sendo estudado quatro outros locais alternativos para a transferência da Ceagesp, em espaço três ou quatro vezes maior do que o atual de 700 mil metros quadrados, próximo a rodovias para facilitar o escoamento de produtos. No local da atual Ceagesp, na Vila Leopoldina (Zona Oeste), será construído o Centro de Tecnologia e Inovação – CITI, que deverá ser um tipo de Vale do Silício urbano e mais uma Fatec. << Reportagens do DiárioZonaNorte em  06/08/2017 — ver aqui  – em em 09/10/2017 – ver aqui  >>

Mais investimentos em São Paulo === Antes do encontro com o presidente Jair Bolsonaro, o governador João Doria esteve em reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e considerou o encontro “ objetivo e muito produtivo”. Nesta reunião, foram discutidos o Ferroanel de São Paulo e a Rodovia Rio-Santos, que serão conduzidas “a quatro mãos” entre os dois governos. Doria ainda elogiou o ministro Tarcísio e sua equipe, que foram proativos e eficientes nos assuntos. Segundo o governador, já estão com equipes de trabalho e manterão reuniões ainda neste mês.

—-

ID Digital

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora