O governador João Doria anunciou nesta 6ª feira (29/05/2020) que a Região Metropolitana da capital será dividida em cinco regiões no âmbito do Plano São Paulo, que prevê a retomada consciente e controlada das atividades econômicas no estado a partir de 1º de junho.

A subdivisão permite a classificação individualizada das regiões, de acordo com características demográficas e critérios técnicos de saúde, como a capacidade hospitalar para atendimento COVID-19 e a taxa de avanço de casos e mortes provocadas pelo coronavírus.

“A Grande São Paulo será dividida em cinco regiões de saúde no Plano São Paulo. Por abrigar mais de 22 milhões de habitantes, contar com uma organização de saúde com distribuição de leitos e internação hospitalar própria. Devido ao tamanho e complexidade, além da capacidade e disposição dos prefeitos, cada uma destas cinco regiões será avaliada individualmente”, informou governador.

A decisão foi tomada em comum acordo com os prefeitos dos 38 municípios. As análises regionalizadas serão realizadas semanalmente e indicarão reclassificação da atual fase vermelha, de nível máximo de restrição, para as que permitem abertura controlada de atividades não essenciais.

“Com essa divisão, será possível ter uma análise ainda mais precisa de critérios técnicos de saúde para classificação apropriada de fases de retomada consciente na Região Metropolitana”, acrescentou Doria.

Diálogo ===  O Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, informou que participa de reuniões para dialogar com os prefeitos, mas ainda não há previsão de migração dos municípios da Grande São Paulo para novas fases do plano.

“Dialogamos com cada um dos prefeitos, explicando a necessidade do aumento da capacidade hospitalar dessas regiões. É esse o índice que a Região Metropolitana deve melhorar para avançar para a próxima fase. Fica muito claro que o trabalho em conjunto de aumento de leitos é fundamental para que a gente possa, com segurança, fazer essa retomada consciente”, destacou Vinholi.

Como fica ===  As cidades da Região Metropolitana ficam divididas nas seguintes regiões:

Norte -Caieiras, Cajamar, Francisco Morato, Franco da Rocha e Mairiporã;

Sudeste/ABC -Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul;

Leste/Alto Tietê -Arujá, Biritiba-Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel e Suzano;

Sudoeste –Cotia, Embu, Embu-Guaçu, Itapecerica da Serra, Juquitiba, São Lourenço da Serra, Taboão da Serra e Vargem Grande Paulista; e

Oeste – Barueri, Carapicuíba, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus e Santana de Parnaíba.

A divisão foi feita com base na lei complementar nº 1.139, de junho de 2011, que prevê as redes regionais de Assistência à Saúde na Região Metropolitana, com a especificação das sub-regiões.


Governo de SP orienta empresas para agilizar testagem em massa

O governador João Doria anunciou nesta 6ª feira (29/05/2020) protocolos para o setor privado aderir ao incremento de testes do coronavírus. A medida orienta gestores de empresas sobre prevenção e monitoramento das condições de saúde de funcionários, colaboradores e fornecedores e da segurança de clientes.

“Nesta fase de reabertura gradual da economia, o poder público pede e tem convicção de que terá o apoio da livre iniciativa na realização de testes em massa para ampliar a eficiência no enfrentamento da epidemia”, disse Doria. “O diagnóstico preciso é fundamental, como sempre destacam os cientistas e membros do comitê de saúde, para controlar e superar o coronavírus”, completou.

Os protocolos foram articulados com a Vigilância em Saúde do Estado e orientam como as empresas vão aderir de forma voluntária à realização e periodicidade de testes. São diretrizes e ações recomendadas para prevenção, triagem, testagem e contenção de casos. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico apoiará as empresas nos contatos com a Secretaria de Saúde.

Para prevenção, as empresas devem reforçar medidas de prevenção da doença divulgadas no Plano São Paulo, tais como distanciamento social, uso de máscaras, higiene das mãos, limpeza do ambiente de trabalho e afastamento de sintomáticos.

Para triagem, a recomendação é que as empresas apliquem um questionário de monitoramento dos sintomas para identificar e isolem casos suspeitos. Na sequência, vem a fase de testagem, com orientações sobre tipo e função de testes, fluxo de operacionalização, encaminhamentos e notificação dos casos.

Por fim, o protocolo definiu a fase de contenção, com orientações sobre como comunicar resultados dos testes para funcionários e adoção de medidas de contenção em caso de testes positivos na empresa.

Os testes nas empresas complementam a estratégia do Governo de São Paulo para monitorar a pandemia e se somam a 3,3 milhões de testes que foram adquiridos pelo Estado.


    Governo de São Paulo estrutura Secretaria de Projetos, Orçamento e Gestão

O governador João Doria confirmou nesta 6ª feira (29/05/2020) a estruturação da Secretaria de Projetos, Orçamento e Gestão, que ficará sob o comando de Mauro Ricardo Machado Costa. A organização da pasta dará mais agilidade, eficiência e transparência à gestão orçamentária e econômica do Estado.

“Mauro Ricardo é um dos mais completos profissionais de administração e gestão pública do país”, afirmou o Governador. “A partir de 1º de junho, ele assume esta nova Secretaria tendo em vista a necessidade de controle mais rígido de despesas e, dadas as circunstâncias do coronavírus, auxiliar e apoiar as Secretarias de Fazenda e Planejamento e a de Governo”, disse Doria.

Administrador de empresas com pós-graduação em Administração Pública pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), Mauro Ricardo foi Secretário de Governo da Prefeitura de São Paulo de dezembro de 2018 a abril de 2020.

Ele também já comandou as Secretarias da Fazenda do Paraná e de São Paulo, entre outras funções de destaque desempenhadas em gestões municipais, estaduais e também no Governo Federal.

O novo Secretário assume o cargo com a meta de otimizar processos administrativos e assegurar eficiência nas áreas de gestão econômica, gestão orçamentária, recursos humanos e desenvolvimento de projetos e parcerias do Governo de São Paulo. A pasta também será responsável pela elaboração da Lei de Diretrizes Orçamentárias do Estado.

A estrutura da Secretaria de Projetos, Orçamento e Gestão vai absorver estruturas e servidores públicos que já atuavam em áreas sob a supervisão das Secretarias de Governo e de Fazenda e Planejamento. Além de Mauro Ricardo, a pasta terá George Hermann Rodolfo Tormin como Secretário Executivo e um Chefe de gabinete que ainda será indicado. << Com o apoio de informações/fonte: Assessoria de Comunicação do Governo de São Paulo >>


 

IBCC Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora