A Yellow, empresa brasileira de soluções de mobilidade urbana individual, ampliou nesta semana a sua área de atuação para patinetes elétricos em São Paulo – primeira cidade a receber o serviço da empresa no Brasil. Alguns bairros da Zona Norte passaram a contar com o serviço.  Até o fim de junho a empresa promete estender até Zona Leste também entrará nessa lista, expandindo em 28km² a área total na capital paulista, que será de 115km².

Na Zona Norte, a área tem 12km², do bairro do Limão até o Carandiru, incluindo Jardim São Paulo, Santana e Vila Bianca. Vale lembrar que esse perímetro inclui importantes estabelecimentos e pontos turísticos da região, além de hubs de transporte público. “Os usuários encontrarão patinetes nas proximidades da ciclovia da Braz Leme, do Shopping Center Norte, do Sambódromo do Anhembi, das estações de metrô  — Santana, Carandiru, Portuguesa Tietê e Parada Inglesa — e do Parque da Juventude. A novidade com certeza fará diferença na vida das pessoas que circulam por essas localidades”, conta Marcelo Loureiro, CEO no Brasil da Grow, holding responsável pelas empresas Grin e Yellow.

Operação ===  Os patinetes elétricos Yellow estão na cidade desde 6 de agosto de 2018. Para destravá-lo, a pessoa paga R$ 3 + R$ 0,50 a cada minuto de uso. Os equipamentos  estão disponíveis todos os dias da semana das 6 às 22 horas em um dos pontos privados parceiros. O usuário pode encerrar a corrida em um desses pontos ou em qualquer local da área de atuação, contanto que tome cuidado para não atrapalhar o fluxo de pedestres. No fim do dia, a Yellow recolhe os equipamentos para recarga, manutenção e limpeza. E, na manhã seguinte, os disponibiliza novamente para uso nos pontos privados.

Assim como em todas as cidades onde a Yellow atua, as corridas podem ser pagas com cartão de crédito e dinheiro. Os créditos para uso dos patinetes poderão ser comprados em dinheiro em bancas de jornal e lojas, entre outros estabelecimentos parceiros espalhados pela cidade, como lanchonetes, que vão receber o valor em espécie e transferir, na hora, o montante para o app do usuário, como já acontece com as recargas de celular.

Segurança ===  A segurança é um assunto primordial para a Grow, por isso a empresa segue todas as regulamentações do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) para operar os seus equipamentos (resoluções 375 e 465). A velocidade é uma delas: patinetes podem circular nas calçadas com até 6km/h ou nas ciclovias e ciclofaixas com velocidade máxima de 20km/h. A idade mínima para usar os patinetes é 18 anos e a Grow recomenda o uso de capacete.

Dicas para o uso seguro do modal:

  •  Antes de sair, planeje o caminho.
  •  Use sempre o capacete bem preso à cabeça e ajustado adequadamente.
  •  Não trafegar com mais de 1 pessoa;
  •  Idade mínima de 18 anos para locação de equipamentos;
  •  Dê sempre preferência ao pedestre. Lembre-se: o pedestre é o mais vulnerável. É obrigação de todos cuidar da sua segurança.
  •  Não use celular nem fone de ouvido enquanto conduz a bike ou o patinete. Esteja atento a sua condução.
  •  Respeite sempre os semáforos e as sinalizações de trânsito.
  •  Jamais conduza a bike ou o patinete se houver ingerido álcool.
  •  Segure sempre o guidão com as duas mãos.
  •  Esteja atento a irregularidades nas vias, como buracos, bem como galhos e árvores que possam oferecer riscos no seu trajeto.

Sobre a Yellow ===  A Yellow é uma empresa brasileira de soluções de mobilidade urbana individual fundada em junho de 2017 por três empreendedores apaixonados pela problemática e que somam a maior expertise em tecnologia, mobilidade urbana e bicicleta do Brasil: Eduardo Musa, Renato Freitas e Ariel Lambrecht. Seu objetivo é revolucionar o transporte por meio da disponibilização de alternativas de transporte, principalmente para as chamadas “primeira e última milha” das viagens urbanas; além de melhorar a circulação de pessoas em centros urbanos, otimizar os deslocamentos e integrar diferentes modais de transporte. A visão da empresa é disponibilizar uma “condução barata e divertida”. A Yellow é a primeira empresa no Brasil de compartilhamento de bicicletas em sistema dockless (redistribuição livre, sem estação para retirada e devolução) liberadas por um aplicativo de celular. << Com apoio de informações/fonte: Edelman Ass.Imprensa = Ana Carolina Costa >>

LimpaSP – estréia

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora