por Aguinaldo Gabarrão (*)

Se você gosta de um filme de suspense, mas quer fugir de uma abordagem convencional, o filme CULPA tem esse mérito e é a grande aposta da Dinamarca para a categoria de Melhor Filme Estrangeiro ao Oscar 2019.

Além de representar o país, o filme já foi eleito um dos melhores filmes de 2018 pelo National Board of Review, organização americana formada por especialistas de cinema e acadêmicos.

Decisões sob pressão ===  O policial Asger Holm (Jakob Cedergren) trabalha numa central de emergência, encarregado de receber ligações e contatar delegacias. Ele atende a ligação de uma mulher sequestrada e, após algumas perguntas, a ligação é interrompida. A partir daí, Asger luta contra o tempo para que a polícia consiga localizar a mulher e evitar um desfecho trágico.

A boa história não perde tempo com preâmbulos. Por conta dos diálogos ágeis e bem estruturados, é revelado que ele trabalhava nas ruas de Copenhague e, por alguma razão foi parar naquele outro tipo de serviço. Mas logo no início seu temperamento frio e calculista torna-se ali um diferencial por conta da natureza das ligações: bêbados, viciados e pessoas assaltadas ligam para a emergência, exigindo dele uma abordagem rápida para identificar o motivo da ligação e fazer o correto direcionamento.

Tensão crescente ===  A fotografia de Jasper Spanning, marcada por planos fechados e iluminação em tons frios em boa parte do filme, amplia a sensação de tensão e desconforto do policial, que não pode sair do local em que está para tentar ajudar a moça seqüestrada.

E se este recurso ajuda na construção do clima dramático, por outro lado cria um problema sério para o ator Jakob Cedergren. Ele precisa ter um especial cuidado para não carregar nas expressões do rosto. E o resultado é absolutamente convincente ao mostrar a personagem no limite entre a frieza necessária e a empatia com a dor do outro.

Talento que desponta ===  A direção é do estreante Gustav Möller, formado na Escola Nacional de Cinema da Dinamarca em 2015. Ele também escreveu o roteiro em parceria com Emil Nygaard Albertsen. É admirável a competência com que o jovem diretor consegue conduzir a história protagonizada por um único personagem: o policial Asger Holm, uma vez que as principais personagens com quem ele contracena atuam somente com a voz.

Dessa forma, Möller provoca o público a construir imagens e situações comuns ao universo do policial, Perguntas simples tornam-se grandes obstáculos para serem respondidas e o exercício da imaginação conflita com a materialidade dos fatos.

O thriller de suspense CULPA é um convite brilhante para um jogo de sensações e criações mentais que reservam até o último instante uma surpresa. Confira.

Assista ao trailer do filme:

FICHA TÉCNICA

CULPA (Título original: Den Skyldige) —  Distribuição: California Filmes

Direção: Gustav Möller / Roteiro: Gustav Möller, Emil Nygaard Albertsen / Direção de Fotografia: Jasper Spanning / Designer de produção: Gustav Pontoppidan / Montagem: Carla Luffe Heintzelmann / Trilha Sonora: Carl Coleman, Caspar Hesselager / Produção: Lina Flint, Mads-August Grarup Hertz, Henrik Zein / Estúdio: Nordisk Film, SPRING, Det Danske Filminstitut, New Danish Screen /// Elenco: Jakob Cedergren, Jakob Ulrik Lohmann, Laura Bro

Gênero: Suspense / Duração: 1 hora e 28 minutos / Idioma: Dinamarquês / Cor: colorido / Classificação indicativa: 12 anos / País: Dinamarca / Ano de Produção: 2018 – Lançamento: 27 de dezembro de 2018


(*) Aguinaldo Gabarrão, ator. Trabalhou com diretores de diferentes estilos e gerações. Adora cinema. Atua também no segmento corporativo por meio de cursos, treinamentos e palestras com as técnicas do teatro.


Nota da Redação: As críticas publicadas neste espaço são de inteira responsabilidade de seus autores. As opiniões nelas emitidas não exprimem, necessariamente, o ponto de vista do “DiárioZonaNorte” e nem de sua direção.


Organicos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora