Os aeroportos brasileiros começaram a divulgar desde a 6ª feira (24/01/2020) um alerta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre o coronavírus. No alerta, uma mensagem de áudio de aproximadamente 1 minuto — em porutugês, inglês e mandarim — a Anvisa orienta os passageiros que chegaram da China e estão com sintomas como febre e tosse a procurar uma unidade de saúde. Também são dadas orientações para evitar a transmissão de doenças.

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) confirmou que todos os aeroportos administrados por ela veicularão a mensagem. Segundo a Anvisa, os aeroportos concedidos à iniciativa privada também receberam o alerta sonoro e devem veiculá-lo. A agência se reuniu especificamente com representantes do aeroporto de Guarulhos, por tratar-se de um local com fluxo intenso de voos internacionais.

Nessa reunião, a Anvisa informou profissionais de empresas aéreas e de outros setores do aeroporto sobre a atual situação do coronavírus e sobre a definição do governo brasileiro, alinhada às orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) do que pode ser considerado um caso suspeito. Além disso, a agência abordou a intensificação nos procedimentos de limpeza e desinfecção dos terminais.

O coronavírus matou 26 pessoas na China e a doença chegou a outros países, como Japão, Tailândia, Coreia do Sul, Estados Unidos, Austrália e França. Não há registros de que a doença tenha chegado ao Brasil. A fonte do vírus ainda é desconhecida, sendo possivelmente de uma reserva animal, e a extensão da transmissão entre humanos ainda não é clara.

Leia o alerta da Anvisa, veiculado nos aeroportos a partir de hoje: “A Anvisa informa: se você tiver febre, tosse ou dificuldade para respirar dentro de um período de 14 dias após a viagem para a China, você deve procurar uma unidade de saúde mais próxima e informar a respeito da viagem. Se você tiver febre, tosse ou dificuldade para respirar tome medidas simples, que podem evitar a transmissão de doenças: lave as mãos frequentemente com água e sabão. Se não tiver água e sabão, use álcool em gel. Cubra o nariz e a boca com lenço descartável ao tossir ou espirrar. Descarte o lenço no lixo e lave as mãos. Evite aglomerações e ambientes fechados, procurando manter os ambientes ventilados. Não compartilhe objetos de uso pessoal como talheres, pratos, copos ou garrafas. Procure o serviço de saúde mais próximo”. <<<Com apoio de informações/fonte: Empresa Brasil de Comunicação-EBC – por Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil /Brasília >>


     

    Ações preventivas para a saúde do viajante

Apesar de não haver, até o momento, nenhum caso suspeito confirmado no Brasil, a Anvisa, que integra o Centro de Operações de Emergência (COE) – Coronavírus do Ministério da Saúde, está monitorando a situação e tem adotado medidas de preparação e controle para um possível atendimento. A Agência repassou informações sobre as ações empreendidas para o Centro Integrado de Segurança Marítima (Cismar) da Marinha do Brasil e para a Embaixada da China no Brasil.

Seminário virtual  === Está previsto para o dia 30/1 um seminário virtual, denominado Webinar, para os profissionais da Agência que atuam em portos, aeroportos e fronteiras e demais interessados no assunto. Para participar do Webinar, basta clicar no link que será divulgado aqui, no portal da Anvisa, no dia e horário agendados.

O seminário virtual não exige cadastro prévio. O Webinar tem como objetivo fornecer conteúdo e conhecimento atualizado e, no caso dos coronavírus, deverá alinhar todas as informações que tiverem sido disponibilizadas, bem como tratar das medidas e ações empreendidas. A transmissão é via web e a interação com os participantes é realizada em tempo real, durante um chat disponível durante o seminário.

Orientações aos viajantes === No sistema de emissão do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), o Civnet, foi inserido um alerta aos viajantes sobre o novo coronavírus (nCoV). O Certificado é o documento que comprova a vacinação contra doenças, conforme definido no Regulamento Sanitário Internacional. É importante observar, porém, que não existe vacina contra os coronavírus.

Desinfecção de aeronaves ===As empresas que trabalham na limpeza e desinfecção de aeronaves foram orientadas a utilizar os protocolos que já existem para esses casos e utilizar os equipamentos de proteção individual (EPIs) que devem ser utilizados em cada caso.

Os planos de contingência já estão acionados e todos os fluxos de atuação que devem ser seguidos diante da ocorrência de um caso suspeito e as funções desenvolvidas de acordo com os níveis de alerta foram reforçados.

Informes sonoros === Os aeroportos começam a veicular, nesta 6ªfeira (24/01/2020), avisos sonoros da Anvisa em português, inglês e mandarim sobre o coronavírus. A mensagem, com duração de um minuto, alerta sobre os sintomas da doença e informa sobre medidas para evitar a sua transmissão. <<Com apoio de informações/fonte: Ass.Comunicação Anvisa >>


IBCC Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora