Desde a semana passada e agravado nesta 2ª feira (25/09/2018), os membros do Conselho Gestor do Conjunto Hospitalar do Mandaqui foram surpreendidos nas catracas do prédio, que não permitem acesso às suas dependências. Os conselheiros não tem mais a facilidade de ingresso e não foram comunicados sobre o procedimento. Através dos crachás, as catracas simplesmente não liberam a passagem. A partir de agora, os conselheiros somente ingressam com autorização e, desta maneira, não podem fiscalizar a situação e os vários problemas que lá acontecem. Esses conselheiros — que são voluntários e eleitos para o mandato — tem uma atuação dinâmica na semana, finais de semana e até em feriados, fiscalizando os serviços para o melhor atendimento aos usuários.

Segundo  o presidente da Comissão Executiva do Conselho Gestor Usuários, Marco Antonio Nunes Cabral, os crachás dos médicos, enfermeiros e demais funcionários do C.H.Mandaqui funcionam normalmente. “Foram bloqueados os códigos de barras dos crachás dos conselheiros, que não liberam as catracas e aparece o aviso de bloqueado”, argumenta ele. Ele lembra ainda que os crachás dos conselheiros foram confeccionados sem a fotografia e agora está havendo dificuldades de ingresso no estacionamento.

SITUAÇÃO CONTINUA RUIM === Por outro lado, os mesmos conselheiros constatam a continuidade de problemas nas condições de trabalho, com a falta de limpeza no Pronto Socorro Adulto (ver fotos dos banheiros na madrugada de 25/09), com pacientes em macas nos corredores e não atendimento na ortopedia – casos desta 2ª feira que pacientes aguardavam às 20 horas, o ortopedista que estava em cirurgia desde às 14 horas. Uma senhora de quase 80 anos aguardava depois de ter passado pelo clínico geral e até outras especialidades, mas não tinha o ortopedista. E outros casos também no aguardo de atendimento, depois de horas de espera.

O DiárioZonaNorte fez várias tentativas para contato com a diretoria do Conjunto Hospitalar do Mandaqui e não conseguiu retorno. Uma fonte disse que não podem dar depoimentos por represálias. O jornal entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Secretaria Estadual da Saúde, inclusive com o pedido via e-mail, para que houvesse um retorno — o que não aconteceu até o fechamento desta matéria. Segundo o presidente do Conselho Gestor e outros conselheiros, a alegação da Diretoria é que houve uma falha geral – o que na prática não se verifica com os demais usuários dos crachás (médicos, enfermeiros e funcionários). Mais tarde, a Redação do DiárioZonaNorte recebeu a resposta da Assessoria de Imprensa da Secretaria Estadual da Saúde, com a versão: ” o Conjunto Hospitalar do Mandaqui informa que o sistema das catracas está em manutenção, mas não há nenhum “bloqueio” à entrada de conselheiros da unidade, tampouco de funcionários. Basta se identificar que a entrada é autorizada.  O Mandaqui esclarece, ainda, que o estacionamento destina-se prioritariamente a veículos ligados à assistência, como ambulâncias, e também para funcionários’. 

Segue abaixo o comunicado oficial do Conselho Gestor:

CARTA ABERTA AO MINISTÉRIO PÚBLICO E A POPULAÇÃO

Conforme registrado em imagens denunciamos o cerceamento imposto aos Conselheiros Gestores Segmento Usuários do Conjunto Hospitalar do Mandaqui.

Segundo ATA da última reunião e relatos de alguns CONSELHEIROS GESTORES, denunciamos o DESCASO COM A SAÚDE PÚBLICA E O CAOS NO C.H.MANDAQUI, acrescentando nesta data o cerceamento imposto pela Diretoria Técnica ao bloquear a nossa entrada no Hospital ferindo o Regimento Interno do C.H.Mandaqui e toda a nossa história ao longo dos últimos 15 anos.

Ferindo o exercício das nossas atribuições, de acordo com Artigo 198 da CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, 1988 CAPITULO II SEÇÃO I, amparados pela CONSTITUIÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO, CAPITULO II SEÇÃO II ARTIGO 221, LEI ORGÂNICA DO MUNICIPIO DE SÃO PAULO CAPITULO II ARTIGO 213 e nas LEIS 8.080 e 8.142.

Desrespeito, Descaso imposto pela Coordenação de Saúde, Secretaria da Saúde e agora pela nova Diretoria Técnica que sequer nos atende, conforme ofícios.

Desta forma, solicitamos que o Ministério Público interceda a favor dos Direitos dos Usuários e apure os fatos.

São Paulo, 24 de setembro de 2018

Marco A N Cabral
Presidente da Comissão Executiva
Conselho Gestor Usuários


 

NOVA REUNIÃO DO CONSELHO GESTOR === Com a programação fixa (toda última 4ª.feira do mês), o Conselho Gestor já está com a reunião mensal marcada para acontecer nesta 4ª feira (26/09/2018) e já com sua programação definida:

A todos os CONSELHEIROS e CONVIDADOS:

O Conselho Gestor do Mandaqui CONVOCA a todos para a REUNIÃO ORDINÁRIA do Conselho Gestor do Hospital do Mandaqui conforme abaixo descrito.

Data: 26/09/2018 (4ª feira)
Local: Conjunto Hospitalar do Mandaqui – Sala Multiuso II (subsolo)
Horário: 9:00hs
PAUTA DA REUNIÃO

  1. Leitura e aprovação da ata anterior
  2. Palavra da Comissão Executiva – Sr. Cabral
  3. Palavra da Diretoria Técnica
  4. Assuntos Gerais
  • Refereciamento – explanação e detalhamento a respeito de seu funcionamento e missão;
  • Posicionamento através de documentos a respeito da verba (emenda parlamentar) de R$7,8 milhões para o C.H.Mandaqui;
  • Posicionamento através de documentos a respeito do processo para implantação do estacionamento, poda das árvores e retomada do terreno anexo do E.C.Pinheiral;
  • Convênio Uninove e o retorno oferecido ao Hospital-Escola C.H.Mandaqui;
  • Posicionamento através de documentos a respeito do processo, implantação e transição da empresa SP Elevadores para a nova vencedora do pregão eletrônico;
  • Posicionamento através de documentos a respeito das solicitalçies dos ofícios 06/2018 e 072018; e
  • Posicionamento através de documentos a r3espeito da citação sobre conflito de horários e funções no C.H.Mandaqui envolvendo estado e município.

Essa PAUTA foi extraída da última Reunião Ordinária (ver logo abaixo) para que possamos estar documentados e com os temas devidamente esclarecidos.

Atenciosamente
Marco A N Cabral
Presidente da Comissão Executiva
Conselho Gestor


ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA de 29/08/2018

PAUTA DA REUNIÃO: 1. Leitura e aprovação da ata anterior /// 2. Palavra da Comissão Executiva – Sr. Cabral /// 3. Palavra da Diretoria Técnica atual e Nova Diretoria /// 4. Assuntos Gerais

Assunto 1: Leitura da ATA anterior datada de 27.06.2018 submetida à , aprovada por unanimidade.

Assunto 2: O Sr. Cabral abriu a reunião citando um curto-circuito na sala onde seria a reunião e, portanto, a sala estava sem iluminação e cancelando assim nossa reunião. Esse assunto nos foi trazido a atenção pela Sra. Izabel do CHM na hora do início da reunião. O problema era um disjuntor e foi detectado e solucionado pelo Sr. Osvaldo, funcionário do CHM que tem qualificação profissional para resolver o problema em questão. Assunto de energia resolvido inicia-se a reunião.

A Dra. Kátia Soraya Barbosa Knebel   cita o ciclo de apenas um mês nas atividades da Direção do Hospital e agradece o apoio e ajuda como sempre bem-vinda de todos membros do Conselho Gestor. A seguir ela apresenta o Doutor Marcelo que assume como DIRETOR DESIGNADO do CONJUNTO HOSPITALAR DO MANDAQUI .

Dr. Marcelo Barletta Soares Viterbo se apresenta como novo Diretor-técnico e cita que está se inteirando dos problemas pertinentes ao CHM ele cita aos membros do Conselho Gestor que as portas estão abertas para um trabalho conjunto visando o melhor para todos os que se utilizam deste Conjunto Hospitalar. Quanto ao problema elétrico na sala o Dr. Marcelo cita que já estava a par do problema elétrico na sala onde seria a nossa reunião. Ele cita sua disposição para um relacionamento suave e produtivo com o Conselho à frente de sua Gestão no CHM. Ele cita a necessidade de um tempo necessário para que ele possa se inteirar dos problemas do CHM e cita o problema da migração massiva de pessoas e pacientes para o sistema do SUS o que dificulta o bom andamento do trabalho do hospital com a estrutura atual, cita também o decreto do ex-governador proibindo contratações e que na gestão dele fará o que for possível para melhor atender a população, solicita um trabalho conjunto da Mídia, do Conselho Gestor e dos Usuários para divulgar os serviços específicos do Complexo Hospitalar do Mandaqui.

O Sr. Cabral cita que não obtivemos uma resposta de confirmação sobre a realização da reunião e esse foi o motivo do desgaste no início da reunião sobre o uso da sala e a falta de energia. Ele cita que não existe restrição alguma com o atual Diretor, mas passa a citar problemas recorrentes citado pelo Conselho como por exemplo: A  transição na troca de empresa contratada pela LIMPEZA, uma nova equipe que foi contratada e que inicia o seu trabalho sem estrutura com apenas 9 pessoas durante a transição entre as empresas,  cita problemas recorrentes dentro do PSA, no Atendimento cita também o problema do sistema “Cross” que recebe pacientes no CHM, mesmo sem condições adequadas para um correto atendimento dos pacientes.

O Sr. Cabral cita que procedimentos da UTI são realizados por funcionários deslocados do PSA a por solicitação da UTI. Cita que os problemas detectados e transmitidos pelo Conselho Gestor ao CHM não são analisados e se tornam recorrentes.

O Sr. Rogério cita que a UTI tem hoje 40 leitos de alta complexibilidade e que a informação sobre pessoas do PSA  sendo utilizadas em serviços na UTI trata-se de uma INVERDADE,  realmente 2 pessoas ajudaram nos serviços da UTI apenas durante a transição e tratou-se de um fato único e não envolveu serviços específicos da UTI, ele reconhece plenamente que funcionários públicos não podem prestar serviços destinados à empresas Contratadas.

A Dra. Silmara cita a necessidade de filtrar informações sobre as atuações e informações que chegam até o Conselho Gestor e até a Diretoria do Hospital.

O Sr. Cabral cita o problema da falta de pagamento para a Santa Casa de Birigui responsável contratada pelas UTI`s   informando que o problema citado era documentação na contratação.

A Dra. Silmara em resposta cita que o pagamento pela secretaria ocorre em determinado dia com um limite e que a Santa Casa de Birigui não estava preparada para este chamado DELAY, porém ela cita que assim que soube do assunto no mesmo dia ela trouxe uma solução.

O Sr. Cabral cita problemas com informações do RH sobre o quadro clínico atual do hospital para um devido acompanhamento do Conselho.

A Dra Kátia cita a contratação emergencial recentemente aprovada que esta em fase de entrevistas e testes, porém a contratação e início de atividades destes profissionais se dará apenas em janeiro de 2019 por motivo das eleições.

O Sr.Cabral cita a verba de 7 milhões liberada pelo Ministério da Saúde e solicita informações a respeito do uso destes valores para implementar melhorias no CHM.

A Dra Kátia cita que o documento saiu da secretaria e foi para o MINISTÉRIO para oficializar a verba.

O Sr. Cabral exibe uma documentação que comprova que a Dra Zeni responsável pelo AMBULATÓRIO ocupa duas funções paralelas, sendo uma no ESTADO como diretora de ambulatório e outra no MUNICIPIO, demonstrando conflito de horários e atividades, o que preocupa o Conselho tendo em vista os graves problemas no atendimento do Ambulatório.

O Sr. Cabral também cita problemas nos ELEVADORES sob supervisão da SP Elevadores que acabou sendo resolvido pontualmente, porém os problemas continuam. Cita também o problema de acesso ao HELIPONTO do CHM pelo conselho gestor para verificação de possíveis problemas, como exemplo uma demora duas horas de espera para poder acessar o heliponto e fazer a verificação.

O Sr. Cabral representando o Conselho cita que todo o Conselho se propõe ao diálogo com a nova direção do CHM.

Cita também o problema de ESTACIONAMENTO que foi fechado em 2009 porém o projeto foi enviado à Secretaria e continua parado. Citou a preocupação do Conselho com a PODA de ÁRVORES se estão devidamente aprovadas e autorizadas pelos órgãos competentes.

A Dra Kátia cita que a poda da árvore de árvores está dentro das normas e que até mesmo uma engenheira da secretaria tem acompanhado e tudo está dentro da lei. A Dra Kátia cita que o ESTACIONAMENTO precisa de avaliação por ser uma APA (área de preservação ambiental).

O Sr. Osvaldo cita que o pessoal da Uninove fez um levantamento sobre a ocupação desta área, mas que, porém, este relatório desaparece.

A Sra. Regina cita o espaço no Pinheiral para uso do hospital que está até o momento sem o uso devido.

A Dra. Kátia cita que um novo contrato de elevadores com uma nova empresa está em andamento.

O Sr. Cabral solicita um convite para as Faculdades/Escolas:  Uninove, Frei Galvão e Etec, ou seja, as empresas que prestam serviços dentro do hospital para nossa próxima reunião do Conselho Gestor.

Conforme estabelecido os trabalhos na presença da Diretoria Técnica encerram-se às 10:00hs.

A reunião prosseguiu apenas com os membros do Conselho Gestor:

O senhor Cabral cita a conversa mais dura na apresentação com o novo diretor do hospital porém com o devido respeito durante toda a conversa

O senhor Cabral cita o apoio do Sr. Maurício do Portal do DiárioZonaNorte sobre a participação em programas de rádio como por exemplo a Rádio Trianon por uma hora e meia.

Cita novamente o grave o problema do sistema CROSS na qual se impõe a chegada de pacientes sem estrutura alguma para atendimento adequado no Mandaqui o plantão inicia comunicando vaga zero, mas pacientes são transferidos como imposição

A senhora Regina cita um contato dentro do gabinete do governador gostaria de vir ao chm porém foi solicitado um ofício de convite, o Conselho não se opõe em fazer o ofício.

A Sra.Lígia Regina Sales discorda da alta demanda como causa dos problemas e atendimento no CHM e diz que desde 2011 vem cobrando a ouvidoria do CHM e citando graves problemas do chm, ela diz que tem feito um acompanhamento pontual sobre os problemas no hospital em todas as áreas limpeza atendimento pronto-socorro clínico e etc

Cabral cita que em 2011 houveram 30 mil atendimentos mas que hoje esse número é de apenas 11 mil Faltam pelo menos  8 cirurgiões.

A Sra. Nádia cita o problema no calçamento do caminho para chegar  ao CRI ,uma situação de total insegurança do piso, que houve inclusive queda de idosos no local


 

Principais reportagens sobre a crise no Hospital do Mandaqui, publicadas pelo DiárioZonaNorte:


sicredi_institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora