da Redação DiárioZonaNorte ===

Passados os trinta dias, a nova reunião do Conselho Comunitário de Segurança – CONSEG de Vila Guilherme/Jardim São Paulo entrou no túnel do tempo e retomou aos mesmos assuntos já debatidos na reunião de fevereiro (aqui )   Sempre na terceira 4ª feira do mês, desta vez em 21/03/2018, somente as cadeiras não ficaram dispostas aleatoriamente, como da outra vez,  dentro do auditório do Colégio Amorim/Santa Teresa (Rua Lagoa Panema, 466 – travessa da Rua Maria Cândida), na Vila Guilherme.

Elas foram dispostas em filas voltadas à frente da mesa que abrigou as autoridades. Essa reunião é uma das mais importantes na área de segurança, por envolver uma grande população das regiões da Vila Guilherme e do Jardim São Paulo, englobando áreas estratégicas como o Center Norte, Expo Center Norte, Complexo Penitenciário do Carandiru,  Terminal Rodoviário do TietêCentros de Acolhida Zaki Narchi I e II, Cingapura Zaki NarchiParque da Juventude, Sesc Santana, Mirante do Jardim São Paulo  e outros.

As autoridades === Dentro de sua elegância, o único com um terno azul-marinho, no estilo quase britânico, o advogado e presidente do CONSEG Vila Guilherme-Jardim São Paulo, José Maria da Rocha Filho, não segue nenhum ritual nas reuniões. Sem formalismos e sem papel nas mãos, convoca as autoridades à mesa: Dr.  Edilzo Correia de Lima (Delegado Titular do 9º Distrito Policial); Inspetor Douglas de Almeida Flemming (Guarda Civil Metropolitana – Inspetoria Maria Guilherme); Carlos Alberto de Faria (Assistente de Gabinete representando o prefeito regional de Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros, Dário José Barreto); Vagner Mariano (representante da Companhia de Engenharia de Tráfego-CET); e Penha Moreira (do Conselho Tutelar de Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros). O Comandante da 3ª Cia. Do 9º Batalhão, Capitão James Carlos, não pode comparecer por problemas operacionais  e enviou como representante,  com 40 minutos após o início, chegou o Tenente Jesus, acompanhado da Soldado Maria Amália Kobayashi (Relações Públicas). Mais uma vez, não houve o comparecimento da prefeita regional de Santana/Tucuruvi/Mandaqui, Rosmary Corrêa, e nem de seu representante – como também dos Conselhos Participativos Municipais das prefeituras regionais de Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros e de Santana/Tucuruvi/Mandaqui. E, desde o ano passado, a Ilume-Iluminação Pública e a Sabesp não enviam nenhum representantes em várias reuniões de CONSEGs na Zona Norte.

Todo mundo pode falar === Sem execução de hino nacional ou qualquer outro, nem mesmo reverência à bandeira nacional e sem leitura de ata – nem mesmo um resumo das demandas da reunião anterior — teve início ao encontro nas palavras bem articuladas do presidente do CONSEG. E, de um modo inusitado nos padrões dos CONSEGs,  ele passa o microfone de mão em mão para as autoridades da mesa e depois segue por toda a sala toda para apresentações nominais de cerca 60 pessoas – 20 representantes  da Escola de Sargentos da Policia Militar e restantes de moradores, sendo a maioria da Vila Guilherme e alguns do Jardim São Paulo. De uma maneira rápida, cada morador presente  fez uma apresentação simples de nome e bairro que representava.

Poucas falas e avisos === O microfone voltou à mesa das autoridades. O primeiro a falar foi o Delegado Edilzo, que comentou que houve uma incidência bem menor na área criminal, caindo aproximadamente 30 por cento nos casos da região – depois essa informação foi confirmada pelo representante da Policia Militar, que acrescentou que os policiais receberam prêmio “bom desempenho na área”. Da mesa, só ele que falou mais, os outros nada tinham de E a demandas e somente se colocaram “à disposição da plateia”.

E a “estrela da noite” foi o representante da Prefeitura Regional Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros, Carlos Alberto de Faria, que mais falou e mandou seus recados, logo no início: cartão do idoso à disposição, todos os dias, das 9 ás 17 horas; representante da Cohab, às 3ªs. feiras, das 9 ás 12 horas; leilão de carcaças que foi realizado agora e como funciona o esquema de carros abandonados nas ruas; zeladoria com dois caminhões das 8 às 11 horas e das 14 às 17 horas; e referências ao lixo jogado na rua Lagoa Panema – de responsabilidade da Telefonica.

Ação conjunta com a Polícia === O representante da Prefeitura Regional Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros, Carlos Alberto Farias,  trouxe uma folha impressa com vários itens e dominou grande parte da reunião. Antecipou a informação que  nos próximos dias haverá uma ação conjunta com a Policia Militar – que foi acertada  com o Coronel  PM Homero di George Cerqueira  do Comando de Policiamento de Área Metropolitano 3,  Guarda Civil Metropolitana e outros para combater uma série de  irregularidades na região, como som alto e até baile funk.

Comunidade Sallus === E ainda falou do acerto do problema de esgoto na comunidade do Sallus, que será resolvido pela Sabesp, que prometeu resolver em 60 dias.  Dominou  a reunião com vários itens sobre ações de zeladoria, com serviços de lixo, pontos viciados, calçadas e outros. Mas sempre ressaltando as deficiências financeiras e operacionais  (mão de obra) da Prefeitura Regional de Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros, apesar de ter conseguido alguns serviços extras com a empresa Inova, terceirizada na região.

A velha questão da Praça === O que mais ficou ressaltado foram as reclamações levantadas por moradores de um prédio na Praça Oscar da Silva, na Vila Guilherme, ao lado do Centro de Cultura Vila Guilherme-Casarão, com as condições da baixa frequência do local e de eventos realizados com feiras gastronômicas. Segundo os moradores, o local não está sendo bem frequentado por jovens, que usam drogas e promovem grupos em frente ao prédio cultural – apesar de haver uma base fixa da Policia Militar dentro da praça, que nada acontece. Houve também referências aos maus cuidados e sujeira da praça.

Outra moradora reclamou que não tem mais descanso aos finais de semana, com a realização da feira gastronômica promovendo muito barulho até o final da noite. Foi novamente a repetição das mesmas reclamações da reunião anterior (ver aqui) E acrescentada que no final de semana está sendo anunciada uma nova feira gastronômica nos três dias (6a.feira, sábado e domingo), agravada com um prometido show de rock. O representante da Prefeitura Regional mostrou desconhecimento sobre o assunto, se houve autorização,  e informou que levaria o assunto para ser verificado e tomar  as medidas necessárias.

O velho problema da Itapemirim === Ainda voltando no tempo, outro assunto recorrente (mesma reunião de fevereiro – ver  aqui ) foi o caso da “garagem da empresa de ônibus Itapemirimenvolvendo barulho – com acréscimo de poluição ambiental na Rua Amazonas da Silva com Rua José Duran, na Vila Guilherme – próximo do terreno da antiga empresa Braspress. Local próximo aos prédios residenciais, onde os moradores estão sendo constantemente incomodados diuturnamente por barulho (motores de vários ônibus ligados ao mesmo tempo ou sendo acelerados), poeira, odor de material químico e de óleo, entre outros. Outra reclamação apresentada foi sobre um terreno, cuja a sua irregular demarcação está na Justiça. Os moradores temem clusive a desvalorização de seus imóveis e problemas de comercialização imobiliária.

O processo foi reenviado para a Prefeitura Regional de Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros em meados de 2017, por ordem judicial, e desde então está parado, sem nenhum retorno e resposta efetiva.  Novamente o assunto foi encaminhado à Prefeitura Regional, que está  agora sob os cuidados do chefe de Gabinete, Samuel Renato Machado. As demandas foram acolhidas pelo assessor Carlos Alberto de Faria, que novamente prometeu trazer um retorno sobre elas, na próxima reunião do CONSEG – e chegou a marcar com uma das moradoras reunião extra na próxima 2ª feira (26/03) para conversas junto à Prefeitura Regional.

Últimos assuntos === Em seguida, alguns moradores elogiaram as ações do programa  “Vizinhança Solidária” na região – que foi implantado no começo do ano passado pelo Capitão Reco – em outra unidade, da 2ª Cia do 43º Batalhão  – mas que agora  se espalhou por toda a cidade, recebe vários incentivos, e é coordenada por várias Companhias da Policia Militar junto aos grupos de moradores, que se intercomunicam e se autoajudam na segurança – e sua expansão em outras vias. Houve também um debate sobre a abordagem de jovens nas ruas, com o uso de drogas, e o Tenente Jesus – substituindo o Comandante da área – explicou alguns detalhes e a falta de pessoal para combate mais ativo. Mas alertou que os casos devem ser comunicados pelo telefone 190 para ver “a situação de atendimento”, no momento.

Ainda aconteceram algumas intervenções da plateia e de um representante do Terminal Rodoviário do Tietê, representando a empresa Socicam, que veio dar retorno também da reunião anterior. Ele agradeceu uma ação conjunta que aconteceu nos arredores do Terminal Rodoviário, que eliminou a permanência de ambulantes e moradores de rua. “Foi ótimo, muito bom!”, mas salientou que seu retorno foi justamente porque “no dia seguinte tudo voltou ao normal e nada mais foi realizado”. Ele preferiu dar detalhes e falar em separado com as autoridades policiais.

Após duas horas de reunião, com muitos assuntos repetitivos e sem retorno nas demandas anteriores,  no final o presidente do CONSEG, José Maria da Rocha Filho, fez os agradecimentos. Ele convocou a próxima reunião na terceira 4ª feira de abril, que cairá no dia 18, às 19 horas, no mesmo local. Como não podia deixar de ser, os participantes da reunião se concentraram em bate-papos e comentários sobre os assuntos discutidos, com as autoridades.

sicredi_institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora