da Redação DiárioZonaNorte ===

Um dia atípico. Muito atípico. Quinta-feira, 23 de maio de 2018. Além do frio, a cidade foi surpreendida com a greve nacional dos caminhoneiros, que ocasionou sérios problemas na circulação de ônibus e abastecimento de combustíveis em postos. Mesmo com a greve,  e deixando a telenovela ou futebol de lado, cerca de 60 pessoas estiveram no salão da Casa de Cultura Salvador Ligabue, atrás da Matriz da Igreja Nossa Senhora do Ó, o centro histórico junto aos famosos bares e restaurantes  da Freguesia do Ó (Zona Norte/Noroeste). Neste espaço aconteceu mais uma reunião do Conselho Comunitário de Segurança-CONSEG, presidido pelo advogado Dr. Carlos Guaita Garnica.

As autoridades na mesa ===  Em um  ato de cidadania a população compareceu para discutir as demandas e problemas da região. E de um modo participativo, com demandas e aplausos a todo momento às autoridades e aos moradores. Muito bem organizado, com apresentação do Diretor Social do CONSEG, Cipriano Gomes, com as plaquinhas em cima da mesa que definiram as autoridades convidadas: Dr. Marcos Florio Manarini, Delegado Assistente do 28º Distrito Policial, representando o Delegado Titular Dr. Nicola Ramanini; Capitão Alexandre Lopes, Comandante da 1ª Companhia do 18º Batalhão da Policia Militar; Inspetor Renato Sampaio, Comandante da Guarda Civil Metropolitana da Freguesia do Ó/Brasilândia e o Assistente Operacional  Inspetor Martins; Wilson Leandro, representante do Prefeito Regional Roberto Godói;  Vanessa Ribeiro de Souza, vice-presidente do CONSEG Freguesia do Ó; e Alexandre Teixeira, do Conselho Tutelar. Não foram registradas as presenças de representantes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), SP Trans, Sabesp e Ilume – entre outros.

O hino do CONSEG === Solenemente, todos em pé com apresentação mecânica do Hino Nacional, na íntegra. E, de um modo diferente, o Hino do CONSEG, com o título “O Conselho é Nosso”, letra e música do Major Arruda, um dos fundadores. “Juntos, agora, vamos dar as mãos, com alegria e muita união, na busca de soluções, abrimos os corações, nossas famílias é que vão ganhar”, é a abertura do hino – veja a íntegra clique  aqui 

O caminho é o CONSEG === De um modo diferente de outras reuniões de CONSEGs, os agradecimentos nominais de pessoas representativas que estavam  na plateia. E o mediador Cipriano Gomes emendou algumas mensagens de elegios à plateia: “O mais importante do CONSEG são vocês, os moradores. Às vezes, não conseguimos tudo, mas a persistência chegamos ao nosso objetivo”.

Em seguida, houve a apresentação do presidente do CONSEG, Carlos Guaita Garnica, que fez também os agradecimentos e explicou que estava com uma gripe muito forte e com problemas na fala. Desta forma, o presidente avisou que iria se preservar com pouca fala e que deixaria o comando com o diretor social Cipriano.

O uso da palavra  === Diferentemente de outros CONSEGs, os frequentadores se inscrevem para falar com três minutos de tempo para expor o problema. Excepcionalmente, houve a antecipação da fala do Capitão Alexandre Lopes, da PM, já que tinha que sair mais cedo para resolver um problema de um policial hospitalizado, que sofreu agressões e teve traumatismo craniano. Ele fez um balanço das demandas da reunião passada e, quebrando as normas das falas, a plateia começou a se manifestar sem o uso do microfone. Um dos problemas é a “perturbação do sossego” com locais fazendo barulho noturno e, às vezes, chegando até a alguns bailes funk. Outro problema que já foi relatado na reunião anterior e foi verificado pela Policia Militar é a saída de alunos de um colégio, com algazarra.

Mais “Vigilância Solidária” === O Capitão Alexandre Lopes informou ainda que a Policia Militar está com uma média de um flagrante por dia e teve também o combate em tentativas de roubos em residências – com prisões dos bandidos. E revelou que há oito semanas não há mais bailes funk na região, já que a Policia Militar faz ações preventivas. Ouviu também reclamações da plateia, com o aumento de assaltos, e recomendou a implantação do programa “Vizinhança Solidária”, entre os vizinhos. Em uma das próximas reuniões do CONSEG, haverá uma palestra sobre o programa e instruções para sua execução. Uma senhora, na plateia, informou que está ocorrendo muitos assaltos na região da Jequitiba, até durante o dia. “Todo mundo está com medo e não sabe o que fazer”, reclamou. Ela disse que foi assaltada duas vezes em 40 dias, tendo seu carro roubado e depois o de sua filha teve o mesmo destino. ”O lugar era tranquilo e agora quero ir embora dali!”, observou a moradora. E outro morador confirmou que uma semana foram mais três assaltos na mesma região e há até filmagens do que aconteceu. O Capitão Alexandre Lopes disse que tomará providências e pediu que os moradores o procurem, com as filmagens. Recomendou-se novamente a implantação do programa “Vigilância Solidária”.

A troca de Comandantes === Antes de sua saída, o Capitão Alexandre Lopes ainda ouviu o apelo de uma moradora sobre a troca constante do comando do Batalhão da Policia Militar. Ela alegou que sempre registra-se uma descontinuidade de soluções aos problemas, com a troca do comandante. Por sua vez, o Capitão Alexandre Lopes que essas trocas de comandos são normais, às vezes até por promoções, mas sempre que ocorre uma mudança, as demandas e observações da região mais importantes  são transferidas para o novo comando. Ele lembrou que ficou 12 anos no 5º Batalhão, na região de Santana/Tucuruvi. Mas os moradores não ficam desprotegidos. E o Comandante da Policia Militar encerrou sua participação e retirou-se, sendo que receberá as demandas posteriormente.

As demandas variadas === O coordenador da reunião, Cipriano Gomes, ainda lembrou a importância do Boletim de Ocorrência, pois é o aviso para que a Policia possa atuar no local. E quando há muitas reclamações do mesmo local mostra ser mais importante e atuante essas ações. A partir daí, o microfone foi aberto às pessoas inscritas da plateia. Foram 12 pessoas que falaram sobre problemas variados, como uma praça com “modificações desnecessárias” sem consultar os moradores; maior fiscalização da PM e GCM na região da Av. Petrônio Portela; mais zeladoria da Prefeitura Regional; colocação de semáforo ou redutor de velocidade pela CET (que não enviou representante na reunião); roubos e furtos em residências; iluminação nas ruas; podas em árvores próximo de um colégio; mais segurança ao comércio que sofre assaltos e roubos; curso de prevenção de segurança de acidentes domésticos/incêndio para moradores; reforma de uma escola; perturbação de sossego (barulho à noite); e implantação do projeto “Vigilância Solidária”. Houve também muitos agradecimentos às ações e soluções conduzidas pelo CONSEG da Freguesia do Ó, como à Policia Militar, Civil e Metropolitana.

Um alerta de momento === O deputado estadual Coronel Telhada (PP) — veja o perfil do parlamentar aqui, que reside na região, estava na plateia na qualidade de morador, prestigiando um conhecido que lá estava para solicitar ajuda ao CONSEG – perturbação do sossego, bar com barulho noturno – que, segundo o representante da Prefeitura Regional, o caso já está em andamento e o local já foi autuado podendo ser fechado. Não passou em branco e foi convocado a falar ao microfone, à frente. Ele fez elogios ao CONSEG – nos seus 33 anos de existência e que precisaria ser mais valorizado — e falou da sua grande importância para os moradores da região, que é o único meio junto e direto às autoridades. Reforçou o pedido à Prefeitura Regional para resolver o problema de barulho à noite no comércio (bares), com mais fiscalização.  E aproveitou para falar do momento político e econômico, com foco na recente paralisação dos caminhoneiros. O deputado lembrou da situação do país e inclusive do aumento da criminalidade, já que não há investimentos e apoio às forças policiais.  “O país parou!”, com referências à paralisação dos caminhoneiros. “O governo precisa ouvir a população”, com medidas, e não deixar chegar onde chegamos. E mandou recados que o “povo precisa reagir”. “O país precisa ser repaginado, tem muita coisa para ser reformado em todas as áreas”, encerrou.

GMC troca de comando na área === O presidente do CONSEG, Carlos Guaita Garnica, deu a palavra a cada uma das autoridades à mesa. Mesmo com defeito de contato no microfone, com algumas interferências, que passou de mão em mão, foram feitos balanços de cada área e  providências às demandas, com  recados à plateia. Com destaque, o Inspetor Renato Sampaio, que assumiu há menos de três semanas como Comandante da Guarda Civil Metropolitana da Freguesia do Ó, fez um rápido balanço de atuações e os planos para desenvolver na região – lembrou das ações sociais, como a entrega a entrega de cobertores para moradores de rua.

Policia Civil com pouco quadro ===Quem mais se alongou foi o Delegado Assistente Marcos Florio Manarini, que desabafou e reclamou das dificuldades para o trabalho na Policia Civil. “Estamos com um quadro muito defasado. E um quadro envelhecido, do passado, onde hoje temos tecnologia nova”, lembrou. E, em seguida, reclamou: “Hoje o policial tem que fazer de tudo, com pouca gente. Plantões de 12 horas, cansativos”. Segundo ele, é um esforço redobrado, mas não deixam de executar o que tem que ser feito. Mas o ideal seria ter mais policiais e divisão de áreas. “Hoje, o exercício do funcionário público é fazer mais com menos”, lembrando que é a tendência, daqui para a frente. E citou as demandas que foram levantadas na reunião e que poderá ser procurado para cuidar dos casos. E lembrou “Me provoquem no Distrito Policial, façam o Boletim de Ocorrência, dando-nos condições para o trabalho de investigação”, falou à plateia.

O encerramento === Depois de duas horas, o presidente do CONSEG deu por encerrada a reunião. Ainda sobrou uma referência final do diretor social e coordenador da reunião, Cipriano Gomes: “Um palavra que a gente vai usar muito aqui: persistência. E ela que faz a vitória. O poder é nosso, da população. Nós precisamos de muita persistência para a gente mudar esse quadro político do país”. O pessoal não foi embora, juntando conversas com as autoridades e tirando fotos. O retorno será na próxima reunião – sempre na quarta 5ª feira do mês – sendo a próxima em 28 de junho, às 19h30, no mesmo local. Uma reunião importante e produtiva.

 O hino do CONSEG – (Letra e música: Major Arruda)

Juntos, agora, vamos das as mãos / Com alegria e muita união /                                    Na busca de soluções / Abrimos os corações / Nossas famílias é que vão ganhar/

O cidadão merece segurança/ Para poder trabalhar e crescer / Vamos legar a todas as crianças / Um mundo bom onde possam viver

Povo e Policia, uma só direção / Com seriedade e dedicação / Humanizando a cidade / O bairro e o quarteirão / Nosso Conselho nos dá voz e ação

La…la…la / Humanizando a cidade/ O bairro e o quarteirão / Nosso Conselho nos dá voz e ação.

CN Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora