da Redação DiárioZonaNorte ===

Lá se vão três anos na expectativa e agonia pelo destino do que vai acontecer com a São Paulo Turismo (SP Turis). O mais preocupante são os 350 funcionários concursados e suas famílias que dependem de informações sobre a privatização do Parque Anhembi. Por outro lado, as atividades de turismo e eventos geram milhares de empregos diretos e indiretos no mercado.  E as tentativas de esclarecimentos vem sendo feitas em busca de um encontro com o prefeito de São Paulo, desde a gestão de Fernando Haddad e que já passou pelo ex-prefeito João Doria Jr. e agora com Bruno Covas.

O fim da SP Turis === Diante desta grave situação na possibilidade de perderem os seus postos especializados e profissionais, aumentando  a grande  legião de desempregados,  os funcionários decidiram, no começo da noite desta 5ª feira (02/08/2018), por uma  nova manifestação pacífica em frente ao Palácio das Convenções/Auditório Elis Regina, em Santana (Zona Norte),  com o apoio do Conselho de Representação dos Empregados da SP Turis.  Com muitas faixas e cartazes, eles buscaram alertar as autoridades e trazer definições sobre o que vai acontecer com o provável fim da empresa e a criação de uma Secretaria Municipal do Turismo.

Pare para pensar === ”Nosso pleito é para que os funcionários sejam aproveitados em uma empresa pública que cuide de turismo e eventos na cidade, mantendo a qualidade da prestação desses serviços e as importantes receitas provenientes deles”, argumenta o produtor de eventos Aristóteles Moura Fernandes Filho, mais conhecido como Ari Fernandes, representante do Conselho dos Empregados. Ele explica que “não podemos deixar cair essa receita e os empregos gerados pelo turismo, já tão aquém do esperado, se compararmos com outras cidades como Lima, no Peru, e Macau, na China, que começaram suas políticas de turismo muito depois da cidade de São Paulo – e hoje tem duas vezes mais turistas”. Segundo os funcionários da SP Turis, o governo com a criação de uma Secretaria Municipal de Turismo, não permitirá robustez necessária para administrar os números gigantescos do setor e controle dos eventos, e não possibilitará a transferência de pessoal concursado.

As audiências públicas === Por outro lado, está se chegando a quatro meses do último encontro sobre a privatização do Parque Anhembi, que aconteceu no Auditório Elis Regina. O DiárioZonaNorte esteve presente e já registrava o drama dos funcionários na reportagem “Nova audiência pública. Anhembi privatizado preocupa funcionários da SP turis” (19/04/2018) – reveja aqui.  Naquela data, o foco anunciado para o encontro foi o “aprimoramento do Projeto de Privatização do Anhembi”, que debateu a Lei nº 16.811/2018 (Autoriza a Alienação e Participação Societária Detida pelo Município de São Paulo na SP Turismo S/A) e o Projeto de Lei nº 11/2018, que  define índices e parâmetros de parcelamentos, uso e ocupação do solo a serem observados na elaboração de Projeto de Intervenção Urbana (PIU) para a Zona de Ocupação Especial – Zoe Anhembi. << A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano definiu uma nova rodada para consulta pública – até 14 de agostos — sobre a privatização do Parque Anhembi, com a íntegra  disponível clicando aqui . Em seguida, com as sugestões recebidas, irá para o encerramento em definitivo.     Mais informações na página:   https://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/  


credito_sicredi

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora