As dificuldades de quem convive com a EM podem passar despercebidas pela sociedade ou podem ser alvo de preconceito. A Casa da Esclerose Múltipla, projeto da Merck, empresa líder em ciência e tecnologia, busca há três anos quebrar essa barreira levando informação ao público e, além de tudo, mais empatia sobre a doença.

A edição de 2019 tem como tema “Cada caminho uma história” e os visitantes poderão se colocar no lugar de pessoas reais que convivem com a doença para conhecer um pouco mais de sua jornada.

“Eu lido a cada dia com a doença, acordo e falo ‘como estou hoje? Estou bem’ então vamos lá, vida que segue”. Esse é o desafio diário da Janina de Oliveira, de 31 anos, que convive com a esclerose múltipla (EM), doença crônica e autoimune que compromete o sistema nervoso central.

O shopping D&D, em São Paulo (SP), receberá a Casa entre os dias 21 e 24 de agosto, das 10h às 20h. Neste mês, toda a comunidade de EM organiza o “Agosto Laranja“, período dedicado à conscientização da esclerose múltipla. “O objetivo é levantar a discussão sobre maneiras de melhorar a qualidade de vida dos pacientes que, após o diagnóstico podem passar por um processo de adaptação, que vai desde planejamento familiar até rumos da vida profissional”, afirma Luiz Magno, diretor médico da Merck no Brasil.

Associação Amigos Múltiplos pela Esclerose (AME) mostrou um desses pontos em estudo conjunto com a Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo que identificou a taxa de empregabilidade de pacientes de EM no Brasil. A pesquisa demonstrou que 41% dos pacientes de EM no Brasil estão sem ocupação com renda dentro de uma média de oito anos após início da doença, mesmo com um alto nível educacional.

A esclerose múltipla (EM) é uma doença neurológica autoimune, potencialmente incapacitante, apresentando maior incidência em adultos jovens. Estima-se que aproximadamente 2,3 milhões de pessoas em todo o mundo têm EM¹.

No Brasil, a estimativa é de 35 mil pacientes², ainda que potencialmente subdiagnosticada. “Embora os sintomas possam variar e, muitas vezes, não serem visíveis, os mais comuns incluem visão embaçada, dormência ou formigamento dos membros e problemas com força e coordenação motora”, afirma Denis Bichuetti, neurologista e professor na Escola Paulista de Medicina – Universidade Federal de São Paulo. A forma recorrente de EM são as mais comuns.

A “Casa da Esclerose Múltipla 2019 – Cada caminho, uma história” dá a oportunidade aos participantes de conhecerem mais afundo a história de três pessoas que convivem com a doença, desde os primeiros sintomas, dificuldade de diagnóstico, possibilidades de tratamento, até a readequação nos hábitos diários.

Serviço

  • Casa da Esclerose Múltipla 2019 – Cada caminho, uma história
  • Data: 21 a 24 de agosto de 2019
  • Horário: das 10h às 20h
  • Local: Shopping D&D (Avenida das Nações Unidas, 12555 – Brooklin, São Paulo/SP)
  • Entrada gratuita

A Merck em Neurologia e Imunologia ===  A Merck tem um legado de longa data em neurologia e imunologia, com significativo investimento em P&D e experiência comercial em esclerose múltipla (EM). O atual portfólio Glogal de EM da empresa inclui dois produtos para o tratamento de EM recidivante, com um pipeline robusto focado na descoberta de novas terapias que têm o potencial de modular os principais mecanismos patogênicos na EM. A Merck visa melhorar a vida das pessoas que vivem com esclerose múltipla, abordando áreas de necessidades médicas não atendidas.

Sobre a Merck == A Merck é uma empresa líder em ciência e tecnologia em Saúde, Life Science e Performance Materials. Cerca de 52.000 funcionários trabalham para fazer uma diferença positiva na vida de milhões de pessoas todos os dias, criando maneiras mais qualitativas e sustentáveis de viver. Desde o avanço das tecnologias de edição de genes e descobertas de maneiras inovadoras para tratar as doenças mais desafiadoras até a viabilização do uso da inteligência dos dispositivos, a Merck está presente. Em 2018, a Merck obteve um faturamento de € 14,8 bilhões em 66 países.

A exploração científica e o empreendedorismo responsável foram fundamentais para os avanços da Merck desde a sua origem em 1668. A família fundadora continua sendo a acionista majoritária do grupo de empresas de capital aberto. A Merck detém os direitos globais do nome e da marca da Merck em todo o mundo, exceto nos Estados Unidos e o Canadá, onde a empresa é conhecida como EMD Serono, MilliporeSigma e EMD Performance Materials. Para saber mais, acesse www.merck.com.br e siga-nos no Facebook (@grupomerckbrasil) e Instagram (@merckbrasil).

Referências

¹Federação Internacional de Esclerose Múltipla. –www.msif.org/about-us/who-we-are-and-what-we-do/advocacy/atlas/atlas

-of-ms-faqs/ – acesso em julho de 2019.

²ABEM – Associação Brasileira de Esclerose Múltipla. [Online] Disponível em: abem.org.br/esclerose/o-que-e-esclerose-multipla/. Acessado em: 13 de Julho de 2018

³ESTRUTTI, Carolina Martines et al . Employment status of people diagnosed with multiple sclerosis in Brazil. Arq. Neuro-Psiquiatr., São Paulo , v. 77, n. 5, p. 341-345, May 2019 . Available from <www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-282X2019000500341&lng=en&nrm=iso>. Acessado em 25 de julho de 2019. dx.doi.org/10.1590/0004-282×20190051

< Com apoio de informações/fonte: Imagem Corporativa >

LimpaSP – estréia

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora