Início Cotidiano Capital e outras três regiões regridem à fase laranja da quarentena, que...

Capital e outras três regiões regridem à fase laranja da quarentena, que reduz horários de restaurantes e veta bares

da redação DiárioZonaNorte

Nesta 6ª feira (26/02/2021) a pandemia do Covid-19 completou um ano em São Paulo, com um recorde de leitos ocupados em hospitais públicos e privados na capital paulista.

Sem muito a comemorar, o  Governo do Estado anunciou nesta tarde,  o retrocesso da Grande São Paulo, incluindo a capital e as regiões de  Campinas, Registro e Sorocaba, à fase laranja do Plano São Paulo.  Já  Marília e Ribeirão Preto saíram da fase laranja para a vermelha. As novas medidas mais restritivas passam a valer na próxima 2ª feira (01/03/2021).

O que pode e o que não pode

Na etapa laranja, o funcionamento dos serviços não essenciais é limitado a até oito horas diárias, com atendimento presencial máximo de 40% da capacidade e encerramento às 20h. O consumo local em bares está totalmente proibido e permite que os restaurantes funcionem até as 20h. Mais de 70% da população do Estado está na fase laranja.

Medidas restritivas

O Governo de São Paulo já havia anunciado na 4a. feira (24/02/2021)  que a circulação em todas as 645 cidades do estado de São Paulo ficaria  restrita das 23 até as 5 horas até o dia 14 de março. A medida entra em vigor a partir desta 6a. feira (26fev2021) e atende a uma recomendação expressa do Centro de Contingência do coronavírus para conter a aceleração da pandemia.

Os serviços essenciais continuarão a funcionar de acordo com as normas da Fase Laranja do Plano São Paulo e não haverá advertência, multa ou impedimento à circulação de trabalhadores.

Na prática, o Governo do Estado vai endurecer a fiscalização contra aglomerações em qualquer horário e eventos ilegais ou proibidos aos finais de noite e madrugadas, por meio de uma força-tarefa que deverá  a fiscalização das equipes de Vigilância Sanitária em conjunto com as prefeituras.

Equipes do Procon-SP e das forças policiais da Secretaria de Segurança Pública vão atuar de forma conjunta para coibir o funcionamento de estabelecimentos não essenciais no período de restrição e os eventos ilegais. De acordo com o Diretor Executivo do Procon, Fernando Capez, os agentes de fiscalização vão multar comércios e empresas que descumprirem as regras do Plano São Paulo.

Disque Denúncia 

O Governo do Estado vai receber denúncias sobre festas clandestinas e funcionamento irregular de serviços não essenciais pelo telefone 0800-7713541 e também pelo site do Procon-SP  www.procon.sp.gov.br .

Dados da pandemia

Com os dados epidemiológicos semanais divulgados nesta sexta-feira, a média estadual passou de 287,9 para 279 novos casos por 100 mil habitantes. A taxa de novas internações aumentou de 46,3 para 50,4 a cada 100 mil habitantes, e as novas mortes tiveram ligeira queda, de 7,3 para 7 por 100 mil habitantes.

A média estadual de ocupação de leitos de UTI por pacientes graves de COVID-19 aumentou de 66,7% para 70,4%, com 20,5 vagas a cada 100 mil habitantes.

d