A Campanha de Vacinação contra a gripe (influenza H1N1), em toda a cidade de São Paulo, foi prorrogada pela Secretaria Municipal da Saúde até 24 de julho (6ª feira). Anteriormente aconteceram prorrogações e o prazo final seria nesta 3ª feira (30jun2020). As doses estarão disponíveis nas 468 Unidades Básicas de Saúde da capital.

A influenza é uma doença infecciosa febril aguda, com maior risco de complicações em alguns grupos vulneráveis, que pode evoluir para formas mais graves, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e até a morte.

A orientação para os profissionais que farão parte da campanha é que seja feita uma triagem antes da vacinação, orientando quanto às precauções e principalmente identificando sintomáticos respiratórios, para que seja oferecida a máscara cirúrgica e o seu atendimento seja priorizado durante a vacinação.

A vacinação contra a Influenza não protege contra o coronavírus, mas vai auxiliar os profissionais de saúde no diagnóstico do COVID-19, ao descartarem os outros tipos de gripe na triagem, pelo histórico vacinal.

Orientações para as pessoas vivendo com HIV/Aids: O  coordenador de Assistência do Programa Municipal de DST/Aids (PM DST/Aids),

 dá algumas orientações para as pessoas vivendo com HIV/Aids (PVHA). Em relação à vacinação contra a gripe, o médico esclarece que, de acordo com o protocolo do Ministério da Saúde, todas as PVHA devem receber as doses, independentemente do número de células CD4 no corpo, as que fazem a proteção do organismo. “Como a vacina não envolve vírus vivo, não há essa preocupação imunológica”, explica.

“O único cuidado que a pessoa vivendo com HIV/Aids deve tomar é não realizar exame de Carga Viral [que mede a quantidade de vírus por mm3 de sangue] logo após ter tomado a vacina. É preciso aguardar cerca de 30 dias, uma vez que pode dar alteração no resultado do exame”, complementa.

A vacina pode ser aplicada em qualquer uma das Unidades Básicas de Saúde (UBS) ou nos Serviços de Atenção Especializada (SAE) em DST/Aids da cidade de São Paulo, no caso das PVHA. Camargo ressalta, porém, que na UBS é preciso levar uma declaração médica recomendando a vacina, além do documento com foto e, de preferência, também a carteira de vacinação. No caso de o paciente receber a dose no SAE em que já faz o acompanhamento médico, a carta é dispensada.

“A vacina contra a gripe requer apenas a aplicação de uma dose para a proteção. Qualquer dúvida, o médico de acompanhamento deve ser consultado”, reforça o coordenador.

CLIQUE AQUI para saber qual a UBS mais próxima de sua residência. 


 

IBCC Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora