Já valendo neste mês de agosto, os boletos bancários —   até mesmo os vencidos — antes somente aceitos no banco indicado, passarão a ser aceitos em qualquer instituição  financeira (física ou on-line e caixas eletrônicos) e casas lotéricas. O alerta é da PROTESTE, que é  a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (*).

Uma plataforma, desenvolvida pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) possibilitará o pagamento de boletos bancárias, mesmo os já vencidos, já com a inclusão de multa e encargos.

Ela também permitirá maior transparência em todo o processo, pois o comprovante de pagamento será mais completo, apresentando as seguintes informações: juros, multa, desconto, CPF ou CNPJ do emissor e do pagador, data de vencimento, valor e autorização do cliente para que a cobrança seja enviada à residência.

No entanto, essas alterações tem um cronograma para ir acontecendo e variam de acordo com o valor do boleto: a partir de 25 de agosto serão aceitos títulos de R$ 400 ou mais; a partir de 13 de outubro, R$ 100 ou mais; a partir de 27 de outubro, R$ 0,01 ou mais; a partir de 10 de novembro, boletos de  cartões de crédito, doações, entre outros.

MUDANÇAS NO PAGAMENTO === A modernização iniciou em 2017 para boletos com valores iguais ou superiores a R$ 50 mil reais. No decorrer do tempo, o valor máximo foi baixando para que a quantidade de pessoas beneficiadas fosse ainda maior.

De acordo com o portal da Febraban, a mudança do sistema de cobranças traz vantagens como a eliminação do risco de pagamento em duplicidade, já que o registro permite o compartilhamento de informações sobre emissores e pagadores pelas instituições financeiras.

DICAS === A PROTESTE separou algumas dicas de como o consumidor pode evitar problemas na hora de fazer as compras e ainda evitar gastos desnecessários:

É necessário ficar bem atento na hora de pagar suas compras. Na correria típica de fim de ano, as lojas podem confundir valores e formas de pagamento escolhidas. Veja nossas dicas e saiba como driblar esses inconvenientes.

  • Peça desconto e pechinche para pagar 10% a menos em compras à vista.
  • O financiamento da loja pode sair mais caro do que você obter um empréstimo pessoal no seu banco e pagar o valor à vista na loja.
  • Nas compras à prazo, conheça todas as condições. As lojas ou as financeiras costumam omitir o cálculo do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), e a Taxa de Abertura de Crédito (TAC).
  • Exija a apresentação do custo efetivo total (CET). Este é um percentual que considera, além do preço do produto e da taxa nominal de juros, todas as outras taxas que efetivamente serão pagas.
  • Muitas lojas oferecem longos planos de pagamento, mas mesmo neles os juros não deixam de ser aplicados.
  • Para não perder o controle do orçamento, anote cuidadosamente todas as compras feitas e o número de parcelas que serão pagas em cada mês.
  • Fique atento aos empréstimos vinculados à folha de pagamento. Esses planos podem ser cômodos, mas tiram sua autonomia e podem comprometer o orçamento familiar.
  • Pagamentos feitos antes do vencimento devem ter descontos proporcionais aos juros aplicados.
  • Sempre que emitir cheques pré-datados, tome o cuidado de anotar o valor, o motivo da emissão, e a data em que eles serão descontados. Se o seu cheque for apresentado antes da data combinada, você poderá entrar com uma ação contra o estabelecimento pedindo que ele se responsabilize pelos danos causados pela apresentação fora do prazo combinado.
  • Cartão é igual a dinheiro. Não aceite preços diferentes para as duas formas de pagamento.
  • Para pagar com cartão de débito, o cuidado maior deve ser com a senha. Escolha números que não possam ser facilmente descobertos.
  • Não perca de vista o seu cartão: acompanhe o funcionário até a máquina de débito. Evite que pessoas estranhas fiquem muito próximas quando você estiver digitando.<<Com apoio de informações/fonte: Assessoria de Comunicação da PROTESTE >>

O QUE É A PROTESTE  ===   É uma entidade civil sem fins lucrativos, apartidária, independente de governos e empresas, que atua na defesa e no fortalecimento dos direitos dos consumidores brasileiros, fundada em 16 de julho de 2001.   Mantida com as mensalidades de seus associados, e com o aporte e a solidariedade de outras associações de consumidores internacionais, a PROTESTE ajuda os cidadãos a fazer valer seu poder de compra e a conhecer seus direitos. Também se mobiliza para aperfeiçoar a legislação de consumo. Isso ocorre por meio dos estudos que realizamos; das informações publicadas em revistas e no site; da participação em câmaras técnicas e eventos, e do Serviço de Defesa do Consumidor. Por essa razão, a PROTESTE intervém, sempre que necessário, nos conflitos de associados com fornecedores e encaminha às empresas e às autoridades reivindicações e propostas pertinentes para melhorar produtos e serviços.

Institucional Trevo

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora