da Redação DiárioZonaNorte ===

Biergarten Munique promoveu, na última 5a. feira (07/11/209), um jantar de  harmonização de cervejas Paulaner com  pratos  germânicos. O menu de  quatro tempos recebeu a assinatura do restauranter Arno Van Enck e apresentou entrada, primeiro e segundo pratos e sobremesa. Foi uma oportunidade única de experimentar sabores marcantes da gastronomia alemã, harmonizados com sensacionais rótulos de uma das mais festejadas cervejarias da Alemanha.

A Cervejaria Paulaner tem mais de 300 anos de história produzindo cerveja seguindo a Lei de Pureza da Baviera. Datada de 1.516, ela determina que a cerveja deve conter apenas quatro ingredientes: malte, lúpulo, água e levedura. Todas os 15 estilos de  cerveja produzidos pela Paulaner usam, em proporções diferenciadas, esses quatro elementos. a gente quer despertar os sentidos das pessoas. A responsável pela importação da Cerveja Paulaner é a Casa Flora Importadora.

Os convidados ==  Entre os presentes, destacamos  Paulo Puig (Brand Manager Beer & Spirits da Casa Flora Importadora),  André Oliveira Guaxupé (gerente da Paulaner Brasil), o empresário Humberto Lisboa, o jornalista Luis Guilherme Zenga (do site Conceito de Luxo), a produtora de moda Joyce Faria, Margot Van Enck e Selma Francano (do Biergarten Munique), Priscilla Urschei, Leonardo (do SigaSP),   Renan Geishofer do Vamos Bebeer.

Por que harmonizar? ==  A harmonização é uma forma de criar um “terceiro sabor”. Ele surge da união da bebida e da comida e ocorre de duas formas diferentes: por constraste ou por semelhança. Na harmonização por contraste, se dá quando acrescentamos uma nova característica para o prato ou para a bebida (deixar mais doce, aumentar ou diminuir o amargor, realçar a acidez, etc). Já a harmonização por semelhança, os aromas e sabores se complementam. Uma bebida leve acompanha um prato igualmente leve, uma bebida encorpada acompanha um prato robusto.

Primeiro tempo ==  Para a entrada, Arno escolheu um delicado tartar de salmões fresco e defumado, com alcaparras, cebolas roxas e pepinos em conserva milimetricamente picados, sobre uma cama de palmitos tenros com cream-cheese. O prato foi escoltado por um buquê de crocantes folhas verdes e nabos. Um toque de limão siciliano, acrescentou todo um frescor. Para acompanhar, a Paulaner Hefe-Weissbier, considerada uma das melhores cervejas de trigo do mundo, leve e de fácil digestão. Com um sutil amargor, não filtrada e de cor amarelo turvo. Servida em um copo tipo weizen, a Paulaner Hefe-Weissbier tem um teor alcoólico de 5,5% e possui o clássico aroma do estilo Weiss de cravo e banana. Com sabores frutados, malte adocicado e cravo, o sabor se assemelha muito aos aromas e realçou  a delicadeza do tartar.

Segundo tempo === Para o primeiro prato principal, Arno Van Enck apresentou o tradicional eisbein defumado com chucrute, uma especialidade da Baviera. O eisbein é o joelho do porco e se executado a perfeição, como no Biergarten Munique, resulta em uma carne extremamente macia e saborosa. Para acompanhar o prato, batatas coradas e um deliciosamente chucrute.  Para harmonizar, a cerveja escolhida foi a  Paulaner Münchener Hell, com uma aparência límpida, coloração de um  amarela escuro e  brilhante, é produzida com lúpulo fino e aromático, leveduras exclusivas e malte de cevada. Com um amargor baixo, a Paulaner Münchener Hell tem um  aroma  que lembra malte, biscoito e pão.  Deve ser servida em um copo estilo Mug e tem teor alcoólico de 4,9%.

Memória gustativa == Já o segundo prato da noite foi  uma homenagem ao tradicional restaurante Recreio Holandês, um ícone  da Zona Norte de São Paulo,  que funcionou entre os anos de 1930 e 1983 no bairro do Tremembé e pertenceu ao pai de Arno.  Especialidade da casa, um tenro pato assado recheado – acompanhado de repolho roxo e um perfumado purê de maçã com especiarias -, atraia uma legião de fãs dos mais diferentes pontos do Brasil. Alguns clientes do Recreio Holandês, chegavam a cidade de São Paulo  utilizando helicópteros que pousavam no Campo de Marte e percorriam o trajeto até o Tremembé, por meio de taxis.

Arno Van Enk acompanhava o pai, que ia de granja em granja nos arredores da cidade, para escolher as aves.  Para ter carne macia e suculenta, os patos deveriam ter 90 dias de vida (a idade era identificada pela posição das penas do rabo da ave). Caso fossem abatidos antes ou depois dos 90 dias, a carne era dura.

Para acompanhar o suculento pato  executado pelo Biergarten Munique, a cerveja escolhida foi a Paulaner Hefe Dunkel.  De sabor bem frutado, sutil aroma floral e com cor de chocolate, apresentando uma espuma densa e firme, cremosa e consistente. A cor castanho, o aroma intenso e refrescante, é resultado da utilização de uma porcentagem maior de malte de trigo tostado. Por  não ser filtrada antes de seu envasamento, as leveduras utilizadas em sua fermentação lhe fornecem um sabor especial e são fontes naturais de sais minerais e vitaminas.

Um doce terceiro tempo === Para encerrar o jantar com chave de ouro, a mais tradicional das sobremesas austríacas e muito popular na Alemanha: apfelstrudel.  Uma crocante massa folhada, envolvendo um recheio de maçãs, canela, uvas passas e açúcar, doce na medida certa, acompanhado de creme chantilly. A cerveja escolhida para harmonizar foi a Paulaner Salvatgor Doppelbock. Primeira cerveja da Paulaner fabricada pelos monges para consumo durante o jejum da Quaresma, por isso ganhou o apelido de “pão líquido”. É uma cerveja que possui um perfil doce com aromas de caramelo, amêndoas e nozes, já o álcool está bem inserido no conjunto e delicadamente equilibrado por lúpulos nobres. A graduação alcóolica é de 7,9%.

Biergarten ===  O termo biergarten é originário da Baviera e ao pé da letra, significa “jardim da cerveja”. Tradicional na Alemanha, os biergarten nasceram no  século 19, quando as cervejas de baixa fermentação eram sensíveis ao calor e precisavam ser armazenadas num porão, à sombra de árvores. Nos meses quentes de verão, os cervejeiros  colocavam  mesas e cadeiras de madeira perto do porão, em baixo das árvores e serviam os clientes. Um biergarten é um lugar alegre, de confraternização entre amigos e familiares.

Biergarten Munique é um pedaço da Alemanha na Zona Norte de São Paulo. A cervejaria foi a primeira do Brasil a instalar-se dentro de um shopping center. Já são mais de 35 anos funcionando no Center Norte, sobre o comando do restauranter Arno Van Enck.

Com mais de 35  anos de história, a  Biergarten Munique  foi pioneira a instalar-se dentro de um shopping center sendo assim a primeira neste segmento. Desde seus primórdios mantém intacto o sabor e a a alta qualidade de sua cozinha.  Em seu bar, 16 torneiras de chopp e uma carta especial de cervejas, faz a alegria dos cervejeiros de plantão.

Sobre a Casa Flora == Em 2020 completa 50 anos de atividades. Ao longo deste tempo, tornou-se o local dos melhores produtos na mesa e na adega de famílias brasileiras. Em primeiro lugar, a qualidade dos melhores queijos, alimentos gourmet, vinhos, cervejas, com produtos brasileiros e importados.

Tudo começou na cidade de Flora, município mineiro de Três Corações. O queijo foi o produto que marcou a origem em 1955 da Casa Flora e a uva o ingrediente que fez a estreia da empresa como importadora, em 1992, vinda do Chile E a partir daí foram chegando produtos dos mais variados, atingindo mais de dois mil itens.

No item vinhos, a Casa Flora tem um dos acervos mais completos e conceituados do mercado enogastronômico, com  marcas líderes e de prestígio internacional. Com a cervejaria da Paulaner na Alemanha tem a exclusividade no Brasil,  sendo a organizadora oficial da legítima Oktaberfest, desde 2015. A loja da Casa Flora está localizada à Rua Santa Rosa, 207 – Brás – telefone (11) 3327.5199  – www.casaflora.com.br


DiárioZonaNorte  participou do jantar de harmonização Biergarten Munique, PaulanerCasa Flora,  a convite da  Anagrama Eventos e Comunicação.

Investir e Ganhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora