A relação do artista armênio Arthur Haroyan com seu cachorro, Raffí, morto em agosto de 2018, inspirou o espetáculo Benjamin, que faz nova temporada a partir do dia 1º de maio, 4ª feira, às 21 horas, no Espaço Parlapatões. Alguns dos temas discutidos na peça são a falta de leis que defendam os animais, precariedades dos abrigos e questões como eutanásia, sacrifício e qualidade de vida. Ao final de cada sessão, um cachorro assistido por uma ONG de proteção aos animais estará disponível para adoção, respeitando todas práticas previstas neste tipo de processo.

A peça é a terceira do Grupo ARCA, criado por Arthur, e conta a história de Benjamin (Mário Goes), vira-lata que promove mudanças profundas na vida de Berta (Júlia Marques), mulher que o adota após ser traída pelo marido, Nöah (Lisandro Leite), durante sua lua de mel em Istambul.

Os sentimentos === Com a chegada de Benjamin, o público passa a assistir a visão que Berta projeta sobre o animal. Nele, Berta vê um ser humano ideal, que é cuidadoso, otimista, poético, respeitoso e companheiro, tornando-se assim uma metáfora que ilustra sentimentos verdadeiros e o amor genuíno, muito presentes no comportamento dos cachorros.

Quando Nöah reaparece, Benjamin logo passa a ser assistido pelo público sob a ótica do homem, tomando então uma forma não apenas animalizada, mas triste e solitária, já que o cachorro é menosprezado por ele. “Berta enxergava em Benjamin algo que devia existir nos seres humanos, mas normalmente não existe. Já Nöah traz uma outra camada, e logo o assunto central da peça se torna a confiança traída, o abandono e os maus tratos aos animais”, conta Arthur, que também assina a direção da trama.

Benjamin, que até então interagia, conversava e até dançava valsa com Berta, é deixado de lado, perdendo sua voz e todas características que a relação com a mulher o conferiam. “Benjamin sofre questões ligadas à indiferença do ser humano, tornando-se assim um representante de vários outros animais que passam por situações semelhantes”, completa o artista.

Muito realismo === A encenação da peça é realista, exceto pela própria composição do personagem canino, que ganha um figurino futurístico alterado de acordo com a mudança de olhares dos humanos sobre ele. Apesar de não haver nenhum indicativo exato sobre o tempo em que a peça se passa, Benjamin tem ambientação inspirada nos anos 40, com referência ao cinema mudo, à filmografia de Charlie Chaplin e a estrutura do jogo de xadrez, com peças brancas e pretas que se colidem e se misturam durante a partida.

“O cenário é composto por muitos elementos geométricos e brancos, que vão tomando outras cores após a entrada de Benjamin e mudam novamente depois do retorno de Nöah”, conta Arthur. O dramaturgo e diretor explica que a chegada de Nöah ‘suja’ o ambiente, como se ele trouxesse uma atmosfera venenosa e pesada a um espaço que havia sido colorido por Benjamin.

Sobre o Grupo ARCA ===  Benjamin é o terceiro espetáculo do grupo ARCA, coletivo de pesquisas artísticas criado em 2011 por Arthur Haroyan que tem como foco discussões e criações artísticas sobre a República da Armênia. O nome do grupo é inspirado na história bíblica da Arca de Noé, que de acordo com o livro de Gênesis, repousou no monte Ararat após o dilúvio, região localizada na Armênia Histórica.

O primeiro espetáculo do grupo, 1915, foi baseado na história dos bisavós de Arthur e se ambientava no período do genocídio armênio. O trabalho circulou por diversas cidades, como Santos, Jundiaí e São Paulo, além de ter integrado a programação oficial do centenário do genocídio armênio.

Fora Desse Mundo, segunda peça do grupo, foi escrita a partir de uma viagem de Arthur às montanhas de Cáucaso, também na Armênia, onde o artista teve contato com diversas comunidades isoladas do restante do mundo. De linguagem mais híbrida entre a dança e o teatro, com fortes inspirações da Wuppertal Tanztheater, companhia da coreógrafa alemã Pina Bausch, e na cia francesa Maguy Marin, a peça explora o olhar de uma comunidade para fora de si, onde o que é normal para alguns deixa de ser normal para os outros.

Nas duas primeiras peças do Grupo ARCA, Arthur assinou dramaturgia e também esteve em cena. Já Benjamin marca sua estreia como diretor.

Sobre Arthur Haroyan ===  Nascido na República da Armênia, Arthur Haroyan, fundador do grupo ARCA, é ator, dramaturgo e professor formado em Artes Dramáticas pela escola Incenna (São Paulo/SP) e bacharel em língua e literatura russa pela Universidade Estadual de Pedagogia da República da Armênia.

Na Armênia, trabalhou como jornalista, tendo cursado no IWPR (Institut for War & Peace Reporting), na sede do Cáucaso, e no teatro  Estadual de Drama na República da  Armênia. Em Porto Velho (RO), realizou  a exposição fotográfica Armênia – 3.000 anos de história e participou do Seminário do Plano Nacional de Cultura. Haroyan teve poesias publicadas na compilação lançada pela Universidade Federal da sua cidade.

É autor e ator da peça 1915, dirigida por Rogério Rizzardi, que entrou em cartaz no teatro Espaço Viga Cênico em 2013/2015, autor e ator da tragicomédia Fora Desse Mundo, dirigida por Kléber Góes, que estreou em 2017 na mostra Fringe, que integrou o Festival Internacional de Teatro de Curitiba. Em São Paulo, a peça entrou em cartaz no Espaço Parlapatões e em seguida no Teatro Municipal Arthur Azevedo.

Arthur atuou em mais de 25 peças teatrais na Armênia, no Teatro EstadualHovhannes Abelyan, na sua terra natal, e em diversos espetáculos no Brasil, entre eles: A escolhaAgresteMalandragem S.A. (baseado na peça Ópera do malandro), Orgulho e  Preconceito1915 e Fora Desse Mundo, entre outras. Atuou no curta-metragem Um gole de conhaque ou um perfume qualquerO que vem depois de adeus e Uma chamada perdida. Possui diversos trabalhos na publicidade nacional e internacional e participações  em novelas brasileiras. Sua história de vida foi destaque no Programa do Jô em 2013 e 2015.

FICHA TÉCNICA === Dramaturgia, direção e cenário: Arthur Haroyan. Assistente de direção: Gu Freitas. Elenco: Mário Goes, Júlia Marques e Lisandro Leite. Preparação Corporal: Sidnei Araújo. Figurinos e adereços: Willian Gama e Grupo ARCA. Caracterização: Carol Rossi. Preparação Vocal e Fonoaudióloga: Marília Marques Ramos. Criação de Luz: Georgia Ramos. Composições e Interferências Sonoras: Arthur Haroyan. Hidden Track: Linda Geyman (Rússia). Cenotécnicos: Alfredo Wagner Filho e Rodrigo Briones. Fotografia: Leonardo Santos (Estúdio Meu Ensaio Fotográfico). Arte Gráfica: Rodrigo Briones. Arte das Camisetas e Canecas: Vicente Pavone. Vídeo: Rodrigo Briones, Wellington Oliveira (Videoimagem). Assessoria de Imprensa: Ensaio Comunicação. Duração: 80 minutos. Classificação Indicativa: 12 anos.

SERVIÇO

Benjamin

  • De 1º a 29 de maio, 4ªs.feiras, às 21 horas.
  • Local: Espaço Parlapatões (Praça Franklin Roosevelt, 158 – Consolação)
  • Ingressos*: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).
  • Vendas onlinehttps://www.sympla.com.br/benjamin
  • Capacidade: 96 lugares.
  • *Quem doar 1 Kg de ração, tem direito a pagar meia-entrada

 

Inauguração loja

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora