Com a taxa de desemprego crescente, o mercado de trabalho tem se tornado cada vez mais competitivo, principalmente entre os jovens, que em geral possuem pouca ou nenhuma qualificação profissional. De acordo com levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada em maio, no primeiro trimestre de 2019, a taxa de desemprego entre jovens de 14 e 17 anos chegou a 44,5%, enquanto a faixa de 18 a 24 anos subiu para 27,3%. Uma das opções para esses jovens é o Programa Jovem Aprendiz, criado em 2000, com base na lei de aprendizagem e que prevê a contratação de jovens com foco na capacitação profissional.

Wandreza Ferreira

A baixa adesão === A cota obrigatória mínima de contratação, para empresas de médio e grande porte, atualmente é de 5% para jovens aprendizes. Porém, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Centro de Integração Empresa Escola (CIEE), em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), divulgada em junho deste ano, no Brasil, apenas 2% dessa cota está sendo cumprida. Para a diretora-executiva do Instituto Ser+, Wandreza Ferreira, entre as explicações para a baixa adesão das empresas ao programa Jovem Aprendiz está o desconhecimento dos benefícios gerados social e corporativamente. “Ao empregar um jovem que se encontra em situação de vulnerabilidade social, além de ajudar o jovem a reestruturar sua vida, você está afastando-o da ilegalidade, dando poder de consumo a este jovem e sua família, por exemplo, fazendo com que a economia gire e a violência diminua. Isso sem falar da isenção de impostos oferecida às empresas. Todo mundo se beneficia”, explica.

O mercado de trabalho === Ainda segundo Wandreza, outra justificativa para o baixo índice de contratação de aprendizes é a baixa capacitação desses jovens. Para auxiliar na formação e preparar os jovens para assumir um espaço no mercado de trabalho, organizações não governamentais promovem programas de capacitação profissional, com o objetivo de desenvolver as habilidades técnicas e emocionais dos jovens, de acordo com a necessidade da empresa. “Esse jovem chega ao mercado de trabalho preparado, disposto e apto a aprender e se desenvolver ainda mais.”, comenta.

Profissionais qualificados === Além disso, os programas formam profissionais mais completos e qualificados. As instituições formadoras que estão fazendo o trabalho, juntamente com as empresas contratantes, realizam uma capacitação profissional completa, que vai desde os ensinamentos de conhecimentos básicos, como aulas de informática, até as áreas específicas em que cada jovem está inserido em suas organizações. “Neste projeto não são trabalhados apenas habilidades técnicas, mas, também, socioemocionais, treinando os jovens para que sejam resilientes, exerçam a empatia, entre outras habilidades comportamentais que são indispensáveis no ambiente corporativo”, finaliza Wandreza Ferreira.

Sobre o Instituto Ser+ ===  É uma organização sem fins lucrativos, criada em 2007. Tem como propósito desenvolver o potencial de jovens em vulnerabilidade social, com idades entre 15 e 24 anos, contribuindo com a sua formação integral, descoberta de talentos e conquista do primeiro emprego, como jovem aprendizes. Com metodologia própria, o Ser + é um certificador do Ministério do Trabalho para Lei de Aprendizagem. Mais de 8 mil jovens já foram capacitados pelo Instituto e ingressaram no mercado de trabalho. O Ser + desenvolve ainda programas de capacitação e programas de voluntariado em empresas. Em 2014, a empresária Sofia Esteves, assume a Presidência do Instituto com o propósito devolver à sociedade tudo aquilo que ela havia aprendido e conquistado trabalhando por mais de 30 anos com o público jovem, estando à frente do Grupo Cia de Talentos.


Serviço

Instituto Ser +

  • Endereço: Rua Marcial, 177 – Mooca, São Paulo – SP, 03169-040
  • Atendimento: 2ª a 6ª feira == das 08h00 às 17h30
  • Contato: telefone (11) 3208-1850
  • Site:  www.sermais.org.br
  • Ficha para Inscrições/Jovensclique aqui

Parceiros / Doadores:

Aché, Casas Bahia, Cielo, Drogasil, Getnet, IBM, Lorenzetti, Arcos Dorados/McDonald´s. Raízen, Samsung, Ticket === Parceiros estratégicos: Accenture, Ânima, Bauducco, Cacau Show, Cia. de Talentos, Cielo, IBM, In Connection, Arco Dorados/McDonald´s, Minha Limonada, Narita Design, Nestlé, N19 Comunicação, Net-Claro-Embratel, OdontoPrev, Pepsico, Siqueira Castro, Symantec, Tilibra === Instituições Parceiras: Cáritas Granja Viana, Ana Brasil, Faculdade São Judas Tadeu, FIEB, Gerando Falcões, Liga Solidária, Salesianos, São Judas Universidade, Senai, Universidade Metodista, Condeca, Governo de São Paulo, FUMCAD, CMDCA, Prefeitura de São Paulo === Parceiros/Juvenil e InCompany: Ação Engenharia, Accenture, Aché, Agaxtur, Alvarez&Marsal, Ambev, Amil, Ânima Educação, Antilhas Grupo, Associação Quality, Biosintética, Ferrez, Cia de Talentos, Stella Maris, CYLK, Diageo, Drogarias Pacheco, Drogaria São Paulo, Drogasil, Edwards, Faculdade São Judas Tadeu,Fundação Oftalmológica Dr. Rubens Cunha, Grupo Fleury, Group 1 Automotive, Gympass, Hands, Hyper Island, IBM, Integration, JLL, JôBrás, Klabin, Lar da Mamãe Clory, Libbs, MedSur Hospitalar, Newtel, OdontoPrev, Pernoid Ricard, Qualieno Engenharia, RedBelt, Roche, Samsonite, Samsung, São Judas Tadeu Universidade, Software One, Tecmach, Ticket, Unidas, Viva Real.


<<Com apoio de informações/fonte: N.A. Comunicação e Marketing / Maik Uchôa e Nataly Brito >>

CenterNorte Institucional Maio2019

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora