da Redação DiárioZonaNorte ===

Há 19 anos o ritual se mantém nas reuniões da Associação dos Amigos do Mirante do Jardim São Paulo e Região. A presidente Alba Stela Medardoni convoca as personalidades presentes para ir à mesa, em frente à uma plateia de moradores com algum interesse para resolver problemas da região.  E na primeira reunião de 2019, não foi diferente. Na 5ª feira (28/03/2019), no salão do Santuário Nossa Senhora Salette, só faltou o Hino Nacional para ser uma reunião completa na recepção ao Subprefeito de Santana/Tucuruvi/Mandaqui, Pedro Nepomuceno de Sousa Filho, que há 45 dias  está no cargo e pouco apareceu para a comunidade. Muitos da plateia — com cerca de 70 pessoas —  não sabiam quem era o subprefeito e nem tão pouco ouviram  falar o nome dele.

Um pedido de ajuda social === Abrindo um espaço, a presidente da Associação dos Amigos do Mirante lembrou da ação social da Páscoa, onde todos anos faz a distribuição de ovos, doces, balas, pirulitos, chocolates e outras guloseimas, que são confeccionados em “sacolinhas” e distribuídas para 23 entidades carentes e um abrigo de idosos na região. Alba lembra que a Associação não tem fins lucrativos e  não recebe nenhum subsídio  dos governos, contando com a ajuda de empresas e de amigos. Ela lembra que a Páscoa cai no domingo 21 de abril, mas a distribuição das “sacolinhas” acontecerá nos dias 10 a 12 de abril. As doações podem ser encaminhadas, antes desta data, aos cuidados da Associação, na Rua Capitão Rabelo, 162, no Jardim São Paulo — ou comunicar a retirada pelo telefone: 9-7252.1213. E lembrou também que a Zona Norte não tem nenhum politico como legítimo representante, com  a votação da população, e que é importante escolher melhor quem pode ajudar nos problemas e desenvolvimento da região.

Quem esteve na mesa === Depois de chamar o subprefeito à mesa, foram convocados outras personalidades:  George Abraham Ayoub (empresário da área de seguros e ex-superintendente da Distrital Norte da Associação Comercial de São Paulo-ACSP ); Dra. Joana D´Arc Figueira Cruz (advogada e publicitária, ativista social na região da Armênia / Ponte Pequena);  Dra. Tânia Maria Andreassa ( advogada da OAB-Santana / Comissão da Família e Sucessões); Isaac dos Santos (ex-assessor da Subprefeitura Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros); e Dr. Waldir Mazzei de Carvalho (Assessor Jurídico da Subprefeitura Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros). Todos à mesa, mas com meia hora mais tarde, com atraso por causa de outro compromisso, agregou-se o líder comunitário Beto Freire, da diretoria do Conselho Comunitário de Segurança-CONSEG de Vila Maria e presidente da Associação dos Frequentadores do Parque Vila Guilherme-Trote.

As ações no período ===  Alba Stella Medardoni, fez os agradecimentos e relembrou algumas ações realizadas no final do ano e no período de recesso, mostrando que mesmo sem as reuniões sempre há preocupação de dar continuidade as demandas dos moradores e nas ações sociais. Junto com entidades e representantes de outras comunidades, ela esteve presente no movimento contra a tentativa de mudança da Cracolândia para a Avenida Cruzeiro do Sul; o Carnaval com megablocos bloqueando a Av. Tiradentes; os problemas do Conjunto Hospitalar do Mandaqui; e as participações em vários debates do programa “Metrópole em Foco” da Rádio Trianon. E outras demandas de zeladoria (buracos, asfalto, corte de mato, poda de árvores, descarte de lixo e outros) que recentemente, Alba levou ao gabinete do subprefeito Nepomuceno — na companhia do empresário Roosevelt Izidoro de Oliveira,  dono do prédio e Centro Empresarial Jardim São Paulo (comércio e escritórios) junto à Estação do Metrô  Ayrton Senna –, que o subprefeito prometeu verificar e resolver “o que for possível”, quando houve o convite para a participação nesta reunião do Amigos do Mirante.

O subprefeito fala === Como estrela da reunião, o primeiro a falar foi o Subprefeito de Santana/Tucuruvi/Mandaqui, Pedro Nepomuceno de Sousa Filho, que assumiu o cargo em 12 de fevereiro em substituição a Rosmary Correia (Delegada Rose), que esteve no cargo por dois anos, desde a posse do prefeito eleito João Agripino da Costa Doria Júnior. O prefeito substituto Bruno Covas Lopes (que assumiu a Prefeitura de São Paulo em 6 de abril de 2018), dentro dos interesses políticos, resolveu colocar o novo subprefeito, a pedido e pelo apoio do deputado federal Paulinho da Força. <<Nota da Redação: contrariando a promessa de campanha eleitoral, o atual prefeito trocou os subprefeitos por interesses políticos – já olhando para a tentativa de reeleição no ano que vem – quando as escolhas deveriam ser para indicados de conhecimento da região e sendo moradores >.

De onde veio e para onde vai === Nepomuceno, com descendência sindicalista da Força Sindical, postou-se em pé junto à mesa para falar como se à sua frente estivessem correligionários. Como é desconhecido, teve a necessidade de abrir seu “currículo” (ver no site da Subprefeitura – clique aqui ) — e deixar o recado que conhece a Zona Norte, já que sua biografia liga sua passagem ao município de Embu Guaçú – onde chegou a ser presidente do Diretório Regional do Solidariedade. Mas afirmou que  é morador no Parque da Aclimação colocando-o como sendo no bairro da Vila Mariana (por coincidência, o Solidariedade tem sede na Rua Joaquim Távora naquele bairro) e tem um parentesco com a família da esposa que é do Jardim São Paulo — “onde venho visitar a sogra”.

O que tem na Subprefeitura === Na continuidade, o subprefeito fala de suas ações no seu novo cargo e, logo no início,  cita Alan Nunes Cortez — que estava na primeira fila da plateia –, e “que veio para ser o Chefe de Gabinete”  e que pode até deslocá-lo do gabinete para onde precisa de agilidade e soluções. < Nota da Redação: Há um equívoco porque na verdade o cargo continua pertencendo  a Miguel Del Busso, que está neste posto há meses e, até o momento, não foi exonerado. Alan foi indicado em 21/03/2019  como Coordenador do Governo Local, na vaga 17.272,  que deve atuar junto as áreas de Habitação, Cultura e Esportes, que não tem tido grande representatividade na Subprefeitura e não tem ações desde o ano passado na gestão anterior da Delegada Rose>. E faz referências aos 240 servidores de carreira na Subprefeitura que lá estão alguns que trabalham e outros que precisam de um choque porque “não tem como demiti-los”. Reclamou que tem duas equipes e que o serviço de zeladoria “está muito ruim” e o prefeito Bruno Covas tem conhecimento disto. Informou que esteve com o Secretário das Subprefeituras, Alexandre Modonezi de Andrade,  e disse a ele: “Se o nosso prefeito pensa em reeleição porque é um prefeito jovem, de 38 anos,  e com vontade de trabalhar, ele precisa de imediato melhorar a zeladoria, não só da Zona Norte, mas da cidade inteira”, acrescentou. E citou o SPTV da Globo que “dedica mais de uma hora por dia para meter  o ‘cacete’ na prefeitura” e que a população não quer saber se o buraco é da Sabesp ou da Prefeitura, “quer que tape”. Segundo ele, “nós temos bons salários, ganhamos bem, mas não adianta ficar no ar-condicionado, não”.

Subprefeito fala mais === Acrescentou as dificuldades para a poda de árvores e os caminhos burocráticos e de responsabilidade.  E concluiu: “É, gente, eu não sei quanto tempo vou ficar aqui na Zona Norte”, mas estamos aqui para trabalhar. E reclamou que só tem duas equipes para um território muito grande e que chegou a brigar — “com muita briga, com muita briga mesmo, com muita discussão – e até entreguei o meu  cargo”, acrescentou  — para conseguir mais duas equipes, que agora deu  a “boa notícia” que conseguiu.   “Eu não vou para lá para virar saco de pancada da população”, referiu-se ao comando da Subprefeitura sem equipes de trabalho e que não pode mexer no pessoal. “Eu não posso mexer no Chefe de Gabinete porque é indicação de outra pessoa”, e assim com outros. E citou que “é o aparelhamento da máquina pública”.

Altos e baixos nos exemplos === E acrescentou: “É, gente, preciso muito da ajuda de vocês. Preciso ouvir a população, preciso entender, preciso servir… ver as necessidades”, já identificando alguns problemas, com muito mato para cortar… buracos. E acrescentou uma frase que seria de Che Guevara, “Nós podemos perder tudo, menos o sentimento de indignação” para reforçar suas palavras. E citou uma demolição que teve aprovação recorde na troca da Delegada Rose na Subprefeitura, que “aproveitaram o momento para dar o aval”. E citou um “ponto viciado” na Av. Nova (Luiz Dumont Villares), que fica ao lado do prédio da Telefonica e que vai marcar uma reunião com os comerciantes –– (Nota da Redação: ele desconhece que ali pertence à Subprefeitura da Vila Maria/Vila Guilherme, que é um caso muito antigo até hoje não resolvido por interesses dos bares do local — que deveriam descartar os sacos de lixo com uma empresa particular, conforme a lei, e que não há fiscalização. Há três anos, ainda na gestão Haddad  foi sugerido com apoio da Telefonica e dos CONSEGs da Vila Guilherme e da Parada Inglesa a colocação de câmeras e placas com advertência, que ficou “engavetado”).  E apontou outras dificuldades na Subprefeitura, citando também que não pode tirar os carros abandonados na Zaki Narchi, em frente aos prédios do Cingapura, “porque me aconselharam a não mexer com aquele pessoal porque eu não mais entraria aqui na Zona Norte”. Outro caso citado é de uma comunidade cheia de fios elétricos como “gato” e que também não pode mexer  e nem chamar a Enel para legalizar. E finalizou que não adianta mexer nestes assuntos e fez referências a “um remédio com gotas para salvar e que também pode matar, se alterar a quantidade de gotas”. Encerrando sua fala, o subprefeito voltou a repetir com mais ênfase o que considerou uma  boa notícia: “a partir de agora teremos mais duas equipes, sendo o total de quatro para poda de árvores e corte de mato, nos próximos meses. E fechou a fala de quase meia hora com uma letra  da música “Prelúdio” de Raul Seixas: “Sonho que se sonha só / É só um sonho que se sonha só / Mas sonho que se sonha junto é realidade”. E aplausos da plateia!.

O olhar de uma ativista social === Na posição da mesa, chegou a vez da advogada e ativista social Dra. Joana D´Arc, que definiu que “busca uma cidade melhor”, que é o propósito dos demais. E definiu sua luta para tornar a região da Armênia/Ponte Pequena novamente em evidência, com um novo olhar e melhorias na qualidade de vida. E explicou que aquela região está ligada a três territórios da cidade, que é a Sé, ligado ao Canindé/Mooca e colados em Santana/Zona Norte – e mais uma ponte, na Casa Verde. E citou a tentativa da transferência da Cracolândia para a região e houve a união da população para ser contra. E que houve uma pressão com as autoridades. “O servidor público não é nosso empregado, ele tem que ser nosso parceiro, já que é também cidadão como nós”, explicou Joana D´Arc para exemplificar a luta pelos direitos do cidadão. E exigir que os serviços públicos funcionem em sua região; “se funcionam como a lei manda, não teremos problemas”. Ela se posicionou conhecedora da região de Santana e, como andarilha pela cidade, sabe dos problemas. E fez referências a alguns problemas da região. E citou também os problemas de iluminação e segurança. “Em alguns pontos do miolo de Santana, depois das 10 da noite, você não passa mais como antigamente se fazia. É terrível!”, acrescentou. E revela uma ocupação na Voluntários da Pátria, próxima da APCD, que o aluguel é de 250 reais por mês e  é um problema na região. E ao lado a escola Derville, que virou um ponto de drogados. Tem o problema de segurança nas ruas, com ocupações nas calçadas que o serviço de assistência social não correspondente no atendimento destas pessoas. Citou a Av. Cruzeiro do Sul que é “um céu aberto” para morador de rua. E no meio dos mendigos, tem muitos traficantes, aliciadores de menores e as barracas que funcionam como prostíbulos.

Os cidadãos podem ajudar ===  E fez um apelo para que os serviços da prefeitura trabalhem juntos para a melhoria da cidade. “Um é complementar do outro”, na assistência social, saúde, educação, subprefeitura e outros. “Estamos prontos para ajudar”, enviou a mensagem para o subprefeito na mesa. E acrescentou que está organizando um “mutirão de zeladoria” para no dia 27 de abril com a ajuda dos moradores na limpeza de pontos da região da Ponte Pequena/Armênia, que deverá ser estendido a outras localidades da cidade. A Associação dos Amigos do Mirante, sob a coordenação da Alba Medardoni, convocará os moradores do Jardim São Paulo e que buscará o apoio de outros bairros, que farão a ação no mesmo dia e horário. E a intenção é estender para Vila Maria, Vila Guilherme, Jaçanã e outros. O subprefeito da Sé, Francisco Roberto Arantes Filho, já garantiu apoio da prefeitura com o fornecimento de pessoal, caminhões e equipamentos para os voluntários da região. E ficou registrado o pedido de apoio da Subprefeitura de Santana/Tucuruvi/Mandaqui.  “E vamos sair as ruas e mostrar que a população também sabe como faz e pode ajudar”, finalizou.

Mais falas da mesa ===  Falando da Comissão de Direito da Família e Sucessões da OAB-Santana, Dra. Tânia Maria Andreassa, explicou rapidamente como são os novos projetos para auxilío na sociedade e moradores da Zona Norte. E falou de como a OAB-Santana poderá ajudar as famílias em várias áreas. Ao lado, Assessor Jurídico da Subprefeitura Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros, Dr. Waldir Mazzei de Carvalho, falou da importância da Associação dos Amigos do Mirante na cobrança e ajuda dos problemas da região. George Ayoub, da Distrital Norte da ACSP, lembrou a importância da união de todos para encaminhar as demandas e ajuda ao poder público. E falou de ações da ACSP que teve apoio de todos para a realização de benfeitorias na região. Já Isaac dos Santos, complementou que o importante é ações em conjunto entre o poder público, população e entidades. “Um precisa do outro. Não é fingir que faz, mas realizar”, disse. E fechando as falas, a vez foi de Beto Freire, da região de Vila Maria/Vila Guilherme, que pede ajuda de todos para que haja um hospital público e de referência na Vila Guilherme, que ajudará a todos da Zona Norte. E ele citou sua luta pelo Parque da Vila Guilherme-Trote.

E a plateia também fala ===  E várias pessoas fizeram reclamações dirigidas ao subprefeito: buraco em ruas no Mandaqui próximo do Jardim França, furando pneus de carros; poda de árvores; mudança do prédio da OAB Santana  na Casa Verde com calçada estreita e perigo aos pedestres; iluminação na rua da OAB; uma favela dentro do terreno da prefeitura;  história do Palacete Baruel e cuidados para revitalização; mais convívio social com evento natalino nas proximidades da Rua Voluntários da Pátria, como antigamente; sujeira nas ruas e mato; mais acesso e comunicação com a subprefeitura; congestionamento e travamento da Av. Sezefredo Fagundes por causa da inauguração do Assaí; trânsito e congestionamento no Tucuruvi com inauguração do novo shopping no terreno do antigo Carrefour; doação de uma tonelada e meia de alimentos para os desabrigados das enchentes no Ipiranga; a mudança do Fórum de Santana que está localizado na Casa Verde, que tem projeto para um espaço no Parque da Juventude, que ficou engavetado; e uma obra irregular abandonada e desmoronando na Vila Nivi, causando problemas  aos pedestres e trânsito com perigo na tubulação de gás.

A reunião chega ao fim === Alba encerra dizendo que a reunião é o que aconteceu na noite, com união de moradores. “É importante todos juntos. A união faz a força”, lembra. Ela pede para a participação de todos nas reuniões, com as demandas, e ajudar a Associação dos Amigos do Mirante a mostrar os direitos dos cidadãos. A Joana faz uma observação para os moradores usarem o telefone 156 para registrar a reclamação e depois ficará mais fácil cobrar das autoridades. E se não resolver, procurar a Ouvidoria da Prefeitura e também do Ministério Público. A Dra. Tânia Maria Andreassa, da OAB-Santana, faz um lembrete ao subprefeito para a Praça Margarida (esquina Av. Cruzeiro do Sul com a Rua Conselheiro Saraiva), que é um ponto de moradores de rua e traficantes de drogas, com a presença de crianças.  A presidente da Associação dos Amigos do Mirante lembra que a próxima reunião está marcada para o dia 25 de abril – sempre na última 5ª.feira do mês, às 19 horas, no mesmo local.


Investir e Ganhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora