da Redação DiárioZonaNorte ==

A última reunião da Associação Amigos do Mirante Jardim São Paulo e Região  (AAMJSP) presidida por Alba Medardoni, aconteceu na 4ª feira (24/04) no salão do Santuário Nossa Senhora da Salette e reuniu cerca de trinta pessoas, que iam chegando aos poucos e procurando lugares.  O frio não se mostrou um empecilho quando o assunto é sério: segurança.

Alba iniciou a reunião fazendo um balanço das atividades da Associação Amigos do Mirante Jardim São Paulo.  Para a Páscoa   foram  preparadas  cinco mil sacolinhas com doces e chocolates,   distribuídas para  instituições que cuidam de crianças em situação de risco e orfanatos.

Ações sociais ==   Houve também a realização no mês de abril do evento “Panelas do Bem”, que arrecadou agasalhos e  ofereceu  à  comunidade um festival  gastronômico, com parte da renda destinada aos projetos atendidos pela Associação dos Amigos do Mirante Jardim São Paulo. A festa só foi possível,  pela  parceria com o Metrô e apoio do Espaço Dança & Vida da bailarina e coreógrafa Heloisa Medeiros e da empresária Andreia  Cambraia.

Alba comentou que  a entidade tem dois objetivos a médio prazo.  O primeiro é a conquista de uma sede própria para a AAMJSP,  que hoje tem a sala da casa de Alba fazendo as vezes de  depósito para guardar as doações das muitas campanhas desenvolvidas pela entidade.  Só em remédios foram distribuídos para entidades assistidas pela AAMJSP em 2016 mais de cinco mil unidades — que são doadas por médicos e laboratórios.   O segundo objetivo é um carro, para que  a entrega e retirada de doações possa ser feita de forma ampliada, sem depender da boa vontade de  terceiros.

Associação terá alteração em seu nome === A presidente anunciou, em primeira mão, a alteração do nome da AAMJSP. Passará a se chamar, pela abrangência do trabalho em toda Zona Norte de São Paulo, Associação Amigos do Mirante Jardim São Paulo e Regiões.

Após a abertura, Alba convidou para compor a mesa  de autoridades  o Guarda Luizinho (conselheiro tutelar por Santana), Alexandre Fernandes (Rotary Jardim São Paulo), Coronel  José Giannoni  (ex-Subprefeito  de Santana/Tucuruvi/Mandaqui e assessor do deputado estadual Coronel Camilo), Andrea Cambraia (empresária) e o Capitão Luiz Claudinei Nunes Paulo – comandante da  3ª Companhia do 9º Batalhão da Polícia Militar. Secretariando a reunião  Mirian,  Rosemary Guimarães Matos e  Marília Domingos Sarzedo.

Nasce o GNorte === A empresária Andrea  Cambraia , fazendo uso da palavra, falou sobre o nascimento do  GNorte e a primeira reunião realizada em abril, na Assembléia Legislativa, com a presença de lideranças da Zona Norte de São Paulo.   A proposta do grupo é que a Zona Norte de São Paulo se emancipe do restante da cidade. De acordo com Cambraia, a carga tributária da Zona Norte é suficiente para que a região se transforme em um município.

O caminho da emancipação === Para que a emancipação seja aprovada, há necessidade da concordância de 20% dos eleitores  de toda a cidade de São Paulo  (hoje são  8.886.324 eleitores — cerca de  1, 777 milhão de eleitores).     O segundo passo é que o projeto seja encaminhado para a Assembléia Legislativa, para que ocorra um estudo de viabilidade econômica para o futuro município.  Sendo aprovado.

Representatividade Política da Zona Norte === A realidade é que a Zona Norte de São Paulo tem apenas três representantes na Câmara Municipal ( Aline Cardoso – PSDB,  Claudinho de Souza -PSDB,  Adriana Ramalho – PSDB e Conte Lopes –  PP). O vereador Rodrigo Gomes – PHS deixou o cargo, já que era suplente de Soninha Francine.   Andrea fez um alerta. Precisamos votar em quem trás recurso para nossa região. ” Não adianta votar nos vereadores da Zona Sul ou Zona Leste, pois eles levam nossos votos e as emendas parlamentares são distribuídas nas suas regiões eleitorais”, lembrou ela.

Vizinhança Solidária === A segunda parte da reunião foi totalmente dedicada ao programa “Vizinhança Solidária”. O Capitão Luiz  Claudinei  Nunes Paulo – comandante da  3ª Companhia do 9º Batalhão da Polícia Militar explicou aos presentes como colocar o programa em  prática, em suas regiões.

O Programa Vizinhança Solidária cria a adoção de mecanismos dentro da filosofia de polícia comunitária de estímulo à mudança de comportamento dos integrantes de determinadas comunidades, buscando a conscientização de que a solidariedade entre vizinhos, em termos de segurança, pode vir a ser uma ferramenta facilitadora do policiamento preventivo eficiente e eficaz, objetivando reduzir os indicadores criminais.

O funcionamento do programa depende da comunicação dos moradores. Se alguém vê uma movimentação estranha ou algo incomum, deve falar com seus vizinhos e pedir ajuda imediatamente à Polícia Militar.

O projeto com os condomínios é baseado em um modelo de segurança adotado na Inglaterra e tem como principal fundamento a comunicação entre os moradores do bairro, facilitando e agilizando os pedidos de auxílio à polícia.

 A PM, por sua vez, promove reuniões com os moradores do bairro e produz informativos sobre a importância da participação de todos para prevenir crimes.  Nas ruas participantes do programa,  é  fixada uma placa com a identificação do programa, ajudando a inibir os criminosos.

Passo a passo === Para que a estratégia de implantação e posterior funcionamento do programa  Vizinhança Solidária tenha êxito, são seguidos alguns passos como Identificação das lideranças , definição de um coordenador por rua,  palestras para os coordenadores (para que possam implantar os mesmos procedimentos em sua rua), preparação do efetivo de policiais da área onde o projeto foi adotado,  reunião com  colaboradores  (porteiros, funcionários, vigias,etc), definição da afixação das placas, visita Comunitária e visita Solidária.

Ao ligar para o telefone de emergência 190 procure manter a calma; seja claro e preciso nas informações e responda às perguntas do atendente de maneira clara e objetiva.   Ao se referir ao local da ocorrência,  o solicitante deverá fornecer  o endereço completo, com o do local, além de um ponto de referência de fácil localização e visualização, como por exemplo, uma loja conhecida, locadora, praça, avenida etc.  A palestra teve cerca de 40 minutos e agradou a todos os presentes. Logo em seguida, Alba Medardoni deu por encerrada a reunião.

LimpaSP – estréia

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora