A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) convocará os diretores do Hospital Estadual do Mandaqui, na zona norte da capital, para prestarem esclarecimentos sobre a crise na unidade.

A medida, solicitada pelo deputado estadual Edmir Chedid (DEM) com base em relatos de usuários e reportagens veiculadas na Imprensa, foi aprovada por unanimidade. Desde o ano passado, o Conselho Gestor do Conjunto  Hospitalar do Mandaqui vem alertando para a precarização da unidade.

Segundo relatórios do grupo, faltam médicos, materiais e equipamentos e o número de leitos se mostra insuficiente, fazendo com que muitos pacientes permaneçam em macas nos corredores.

Há também problemas estruturais no prédio (como vazamentos), falta de manutenção de elevadores e aparelhos de ar-condicionado e falta de higiene (inclusive, com presença de ratos).

“Queremos saber que providências estão sendo tomadas para reverter esse quadro”, disse Edmir Chedid, que é presidente da Comissão de Saúde.

Perfil ===  O Hospital do Mandaqui é um dos poucos ainda administrados diretamente pela Secretaria de Saúde do Estado – a maior parte da rede foi transferida a Organizações Sociais.

Ele oferece atendimentos nas áreas de clínica médica, pediatria, urgência e emergência (pronto-socorro infantil e pronto-socorro adulto), ambulatório de especialidades e diagnóstico (raio-X simples, raio-X contrastado, ultrassom, tomografia helicoidal, ecocardiograma, endoscopia, broncoscopia e colonoscopia).

Atualmente, é denominado Conjunto Hospitalar do Mandaqui e funciona como “hospital geral, de ensino, em nível terciário, sendo referência para politraumatizados na nona norte de São Paulo”.

A unidade realiza mensalmente 13 mil atendimentos no pronto-socorro e cerca de 1.000 internações. São 355 leitos de internação e 40 leitos de UTI.

“Em maio deste ano, membros do Conselho Gestor chegaram a ser recebidos no Palácio dos Bandeirantes, mas nada mudou deste então”, disse Edmir Chedid. “E o que é pior: temos recebido relatos de que o trabalho de fiscalização do Conselho Gestor tem sido dificultado”, finalizou o deputado.

O depoimento dos diretores do Hospital do Mandaqui deverá acontecer durante reunião da Comissão de Saúde da Assembleia, em data a ser definida. << Com apoio de informações/fonte: Ass.Imprensa Alesp>>


Principais reportagens sobre a crise no Hospital do Mandaqui, publicadas pelo DiárioZonaNorte — clique nos títulos para leitura:
Conselho Gestor ainda busca uma solução para o Hospital do Mandaqui –  02/12/2018

Natal Center Norte 2018

1 COMENTÁRIO

  1. Quero deixar registrado meu protesto quanto ao péssimo serviço que o Hospital do Mandaqui presta ao povo sofrido que precisa do SUS…como eu Marisa Elias Pires Manacorda.Faltam, estrutura, equipamentos, condições de trabalho, higiene , material…insumos ….médicos ..enferneiros ..enfim falta tudo. Se tem muita gente pra ser atendida…então que contratem mais profissionais…equipem o Hospital…cadê as verbas…o povo paga impostos…e recebe isso em troca…tratados como gado….lixo humano….desde 13 de janeiro de 2018…após uma fratura dupla tibia e fibula…por causa de buraco na calçada…sofrendo a quasebum ano ….me arrastando…tres cirurgias… Infecção hospitalar…demora e descaso nos atendimentos…sem trabalhar endividada…esperando a quarta cirurgia…fui à consulta que marcaram para dia 20 de novembro de 2018 às 7hs da manhã no Ambulatório…prédio 9 tudo fechado….descaso ….sofrimento…Enfim quero pedir providências em nome de todo povo sofrido …ninguém aguenta mais tanto descaso …sofrimento …e sermos tratados como gado…alguém…governo…autoridades…não estamos pedindo esmola ….pagamos impostos …e queremos um tratamento com dignidade….não é necessário o luxo de um Hospital Particular….mas o necessário para seres humanos com dignidade…muito obrigada.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora