Com o aumento da utilização de aplicativos de relacionamentos para reduzir a carência por um contato social e, de quebra, conhecer lentamente pessoas interessantes para futuramente acontecer um encontro presencial, os webnamoros estão rompendo fronteiras e os amantes virtuais tem se permitido a paqueras com pares em outras cidades, estados e até mesmo países.

Por conta do coronavírus, o Tinder liberou gratuitamente a função Passaporte, na qual usuários podem se conectar com pessoas do mundo todo e isso gerou o maior número de swipes – o movimento de arrastar perfis – em um único dia na história da plataforma. Agora, usuários podem vasculhar diferentes cidades do mundo em busca de um romance. “Como linguista, eu aprovo essa nova funcionalidade dos apps. Afinal, nada mais motivador do que um romance internacional para aprender um idioma”, brinca Vitor Shereiber, Gerente de Projetos Didáticos na Babbel.

Mas para “dar match” com crushes de outros países é preciso entender como se relacionar com essas pessoas. E as relações virtuais e à distância durante a quarentena geraram novos termos linguísticos em inglês que colocam à prova até mesmo quem é fluente. E para tornar a paquera internacional mais divertida e natural, linguistas internacionais do aplicativo de idiomas Babbel, que é uma das empresas de educação mais inovadoras da Europa, elegeram as criações mais usadas e comentadas atualmente – e até arriscaram na criação de alguns neologismos eles mesmos.

Juntos na Quarentena ==  Para não passar a quarentena sozinhos, muitos casais, inclusive aqueles em início da relação, decidiram morar juntos durante o confinamento. O comportamento ganhou a denominação corona cuffing. O verbo cuff (algemar) é usado em expressões como winter cuffing, que se refere à pressa de começar um relacionamento um pouco antes do inverno. A ideia de passar a quarentena juntos virou até slogan de perfis em aplicativos: will you be my quarantine? (você quer ser minha quarentena?). Este é um trocadilho com a famosa frase do  Dia dos Namorados americano: will you be my Valentine?(você quer ser meu/minha namorado/a?). Até o amado Netflix & chill ganhou nova versão:  quarantine & chill (quarenta & chill).

Dating Virtual == A vida sentimental de muitas pessoas solteiras acabou ficando limitada ao mundo virtual. Casais em potencial passaram a ter dates virtuais ou vates –neologismo em inglês a partir da fusão de virtual e date. Por outro lado, alguns relacionamentos se tornaram um textlationship, que é a combinação de text (mensagem) e relationship (relacionamento). Graças ao textlationship, o slow dating (o processo de conhecer alguém lentamente) proporciona a chance de conhecer alguém bem melhor, por meio de longas conversas, até o dia que o casal finalmente se encontrará.

Relacionamento à Distancia (1,5m) ==  Em países sem lockdown oficial, como Brasil, Alemanha e Suécia, dates andam se parecendo mais com cortejos de séculos passados, quando o contato físico era proibido antes do casamento. Ainda se vê casais se encontrando pelas primeiras vezes. É a essas caminhadas, mantendo 1,5m de distância, que se deve a mudança de significado do termo “relacionamento à distância”.

E seguindo a onda dos termos que surgiram para os relacionamentos à distância, o Happn, que tem como função principal indicar perfis que apareceram pelo caminho do usuário, por geolocalização, lançou a campanha “Date com responsabilidade”, que estimula as relações pessoais sem sair de casa, aquele papo mais longo para conhecer melhor o match. Além disso, o aplicativo aumentou o raio de encontros de 250 metros para 90 quilômetros, para que mais pessoas possam se encontrar apenas no app.

Agora que já conhece os termos para buscar um amor em outros países, é só derrubar as fronteiras. Pode ser que a sua tampa da panela não esteja no Brasil.

<com apoio de informações Arebo >

IBCC Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora