Até às 17 horas deste sábado (30/11/2019), as Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município de São Paulo estarão abertas  para a realização do Dia D de Vacinação contra o Sarampo. A atual fase da campanha é focada em pessoas de 20 a 29 anos, que devem comparecer ao posto mais próximo para que um profissional qualificado avalie a necessidade de vacinação.

A ação tem como estratégia a vacinação seletiva, ou seja, voltada para aqueles que não tenham comprovante de vacinação ou que estejam com o esquema de vacinação incompleto. A recomendação é que pessoas desta faixa etária tenham duas doses comprovadas da vacina tríplice viral, que, além do sarampo, também protege contra caxumba e rubéola. As doses devem ser aplicadas com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.

Além das UBS, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) também irá disponibilizar a vacina em postos volantes em vários pontos da capital paulista. A lista com os locais e horários de atendimento pode ser acessada neste link Para saber qual a UBS mais próxima de sua residência, basta utilizar o Busca Saúde.

A dose contra o sarampo continua disponível nas unidades básicas de saúde para atualização vacinal. Pessoas de até 29 anos devem ter duas doses comprovadas e quem tem entre 30 e 59 anos precisam de ao menos uma dose da tríplice viral.

Crianças devem ser imunizadas aos 12 meses e aos 15 meses de idade. Por conta do aumento dos casos de sarampo no município neste ano, a recomendação é que crianças a partir de 6 meses até 1 ano também sejam vacinadas. Até 21 de novembro, foram confirmados 7.032 casos da doença na capital paulista. Cinco mortes causadas pelo sarampo foram registradas neste ano. <<Com apoio de informações/fonte: Ass.Imprensa Secretaria Municipal de Saúde / Secom-PMSP >>


      Preocupe-se com o sarampo. Saiba mais.

O que é sarampo? === Sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal. Sua transmissão ocorre quando o doente tossefalaespirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina. 

Os principais sintomas do sarampo são:
  • febre acompanhada de tosse;
  • irritação nos olhos;
  • nariz escorrendo ou entupido;
  • mal-estar intenso

Em torno de 3 a 5 dias, podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de 5 anos de idade.


Como prevenir o sarampo?  === O sarampo é uma doença prevenível por vacinação. Os critérios de indicação da vacina são revisados periodicamente pelo Ministério da Saúde e levam em conta: características clínicas da doença, idade, ter adoecido por sarampo durante a vida, ocorrência de surtos, além de outros aspectos epidemiológicos.

Quem deve se vacinar contra o sarampo? 
  Dose zero: Devido ao aumento de casos de sarampo em alguns estados, todas as crianças de 6 meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas (dose extra).

  • Primeira dose:  Crianças que completarem 12 meses (1 ano).
  • Segunda dose: Aos 15 meses de idade, última dose por toda a vida.
Adulto deve se vacinar contra o sarampo?
Tomou apenas uma dose até os 29 anos de idade:

  • Se você tem entre 1 e 29 anos e recebeu apenas uma dose, recomenda-se completar o esquema vacinal com a segunda dose da vacina;
  • Quem comprova as duas doses da vacina do sarampo, não precisa se vacinar novamente.

Não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão ou não se lembra?

  • De 1 a 29 anos – São necessárias duas doses;
  • De 30 a 49 anos – Apenas uma dose.
Grávidas podem tomar a vacina contra o sarampo?
A vacina é contraindicada durante a gestação pois são produzidas com o vírus do sarampo vivo, apesar de atenuado. A gestação tende a diminuir a imunidade da mulher, o que deixa o sistema imunológico mais vulnerável e, por isso, a vacina pode desenvolver a doença ou complicações.

O recomendado pelo Ministério da Saúde é que a mulher que faça planos de engravidar tome todas as doses da vacina antes, podendo esta ser a tríplice ou a tetra viral, e mantenha toda a rotina prevista no Calendário Nacional de Vacinação atualizada, para se proteger e proteger o bebê.

Quais são as vacinas que protegem do sarampo?
A profilaxia (prevenção) do sarampo está disponível em apresentações diferentes. Todas previnem o sarampo e cabe ao profissional de saúde aplicar a vacina adequada para cada pessoa, de acordo com a idade ou situação epidemiológica.

Os tipos de vacinas são:

  • Dupla viral – Protege do vírus do sarampo e da rubéola. Pode ser utilizada para o bloqueio vacinal em situação de surto;
  • Tríplice viral – Protege do vírus do sarampo, caxumba e rubéola;
  • Tetra viral – Protege do vírus do sarampo, caxumba, rubéola e varicela (catapora).
Onde devo tomar a vacina?
As vacinas são ofertadas em unidades públicas e privadas de vacinação. No SUS, as vacinas são gratuitas, seguras e estão disponíveis nas mais de 36 mil salas de vacinação em postos de saúde em todo o Brasil.

O que causa o sarampo? === A transmissão do vírus ocorre de pessoa a pessoa, por via aérea, ao tossir, espirrar, falar ou respirar. O sarampo é tão contagioso que uma pessoa infectada pode transmitir para 90% das pessoas próximas que não estejam imunes.

A transmissão pode ocorrer entre 4 dias antes e 4 dias após o aparecimento das manchas vermelhas pelo corpo.

Quais as complicações do sarampo? === O sarampo é uma doença grave que pode deixar sequelas por toda a vida ou causar o óbito. A vacina é a única maneira de evitar que isso aconteça.  Algumas das complicações podem ocorrer em determinadas fases da vida.

Gestantes:
  • Mulher em idade fértil (10 a 49 anos) não vacinada antes da gravidez pode apresentar parto prematuro e o bebê pode nascer com baixo peso;
  • É importante se vacinar antes da gestação, pois a vacina é contraindicada durante a gestação.

Como é o tratamento do sarampo?  === Não existe tratamento específico para o sarampo. Os medicamentos são utilizados para reduzir o desconforto ocasionado pelos sintomas da doença. Não faça uso de nenhum medicamento sem orientação médica e procure o serviço de saúde mais próximo, caso apresente os sintomas descritos acima. 


<< Com apoio de informações/fonte: Comunicação do Ministério da Saúde >>

Juntos Pela Zona Norte

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora