da Redação DiárioZonaNorte ===

O dia seguinte sempre trás uma esperança de  vitória. Com dificuldades, alguns empregados da São Paulo Turismo – Empresa de Turismo e Eventos da Cidade de São Paulo – conhecida na abreviatura como SP Turis —  rumaram pela manhã nesta 2ª feira (29/10/2018) para o centro da cidade com a missão de chamar a atenção para  a situação em que se encontram. Houve uma manifestação em frente ao Banespinha – o Edifício Matarazzo ou Palácio do Anhangabaú –, a sede da Prefeitura Municipal de São Paulo, onde está instalado o gabinete do prefeito Bruno Covas,  a maioria de seus assessores e  os principais secretários do município.

Em busca de diálogo === Com faixas brancas bem visíveis e esclarecedoras: “PREFEITO BRUNO COVAS: converse com os trabalhadores da SP Turis”; “Prefeito: chega de descaso com o Anhembi e seu funcionários”, “Empregados da SP Turis: a favor do emprego”, “Trabalhadores lutando pelo emprego na SP Turis” e outras. Depois seguiram pelas ruas próximas até a Praça Almeida Prado, no auditório da B3-Brasil, Bolsa e Balcão – antiga Bolsa de Valores, onde se realizou a audiência pública referente ao processo de alienação do controle acionário da SP Turis.

Os anos passam === Lá se vão três anos que todos estão à espera do desenrolar da privatização do Parque Anhembi, que avança pelas gestões de Fernando Haddad, João Doria e agora caiu nas mãos de Bruno Covas. No começo de agosto, houve também uma manifestação diante do Anhembi, onde os funcionários mostraram a situação – leia aqui . São 350 concursados que não sabem o destino deles na privatização do Anhembi. “Nosso pleito é para que os funcionários sejam aproveitados em uma empresa pública que cuide de turismo e eventos na cidade, mantendo a qualidade da prestação desses serviços e as importantes receitas provenientes deles”, repete o produtor de eventos Aristóteles Moura Fernandes Filho, mais conhecido como Ari Fernandes, representante do Conselho dos Empregados. Mas nada é dado em troco e o assunto passou para a Secretaria Municipal de Desestatização e Parcerias, comandada por Wilson Martins Poit.

André Sanches – presidente da SPTuris

O troca-troca === Recentemente houve alguns passos na atual administração, com a criação da Secretaria Municipal de Turismo, que consta no orçamento do Município, até com a indicação de primeiro Secretário – o escolhido foi o próprio presidente da SP Turis, David Barioni Neto, que ficou no cargo somente dois dias,  acumulando as funções —  e  um ano e seis meses na presidência da SP Turis. Em seguida à saída de David Barioni Neto das duas funções, foi designado o diretor executivo da própria SP Turis, André Sanches, na função de presidente; e como Secretário de Turismo foi alçado Orlando Lindório de Faria – que estava como Secretário Executivo do prefeito Bruno Covas.

Muitas falas e pouca ação === Lá se vão os três anos na expectativa e agonia pelo destino do que vai acontecer com a São Paulo Turismo (SP Turis). O mais preocupante são os 350 funcionários concursados e suas famílias que dependem de informações sobre a privatização do Parque Anhembi. Por outro lado, as atividades de turismo e eventos geram milhares de empregos diretos e indiretos no mercado.  E  houve outras tentativas de esclarecimentos, inclusive na audiência pública que aconteceu em 19/04/2018, no Auditório Elis Regina, no Palácio das Convenções do Anhembi. Na plateia cerca de 200 pessoas, na presença dos vereadores José Police Neto, Paulo Frange, Gilson Barreto e Mário Covas Neto  veja a reportagem aqui. 

Quem esteve e nada foi resolvido === Nesta mesma reunião, estiveram à mesa representantes do governo municipal: Leonardo Castro, diretor de Desenvolvimento da SP Urbanismo – representando a Secretária Municipal de Urbanismo e Licenciamento, Heloisa Maria de Salles Penteado ProençaAna Beatriz Monteiro, diretora presidente da SP Parcerias – representando o Secretário Municipal de Desestatização e Parcerias, Wilson Martins Poit; e  Eduardo Colturato, diretor de Turismo e Eventos da SP Turis – representando o presidente da empresa, David Barioni Neto. E mais a prefeita regional de Santana/Tucuruvi/Mandaqui, Rosmary Corrêa. No mesmo estilo, muitas faixas e cartazes sobre o fim da SP Turis marcaram a audiência pública. E passados seis meses, não houve retorno para o caso do destino dos funcionários e o apelo para uma reunião com o prefeito.

A questão trabalhista investigada === Segundo informações de funcionários da SP Turis, o procurador do Ministério Público do Trabalho, Patrick Maia Merisio, da 2ª Região da Procuradoria Regional do Trabalho, está em mãos com o processo IC 003738.2018.02.000/7 – 102, que faz a investigação relacionada à situação dos funcionários da São Paulo Turismo S/A – SP Turis  – e a conduta da  Prefeitura de São Paulo (Secretaria do Governo Municipal) — e à futura demissão em massa desses trabalhadores, resultante do processo de alienação das ações da empresa.

Segundo informações dos mesmos funcionários da SP Turis,  o procurador do trabalho demonstrou ter formado convicção de que haverá demissões em massa dos concursados, após a alienação das ações. E, segundo fontes, a próxima instituição intimada nesse processo será a Secretaria Municipal de Desestatização e Parcerias, que deverá esclarecer porque não há nenhuma previsão para os funcionários no Processo de Privatização do Anhembi.

Veja abaixo a entrevista do advogado Sidney Bombarda, do Sindicato dos Empregados em Turismo (SEPETUR) sobre a questão trabalhista e o dissídio salarial.

Mais questionamentos ===  Em uma tentativa de mais esclarecimentos, o DiárioZonaNorte  encaminhou às 11h10 desta 3ª feira (30/10/2018) vários questionamentos à Secretaria Municipal de Desestatização e Parcerias: “Há três anos esses empregados pedem uma audiência com o Prefeito de São Paulo – desde o Fernando Haddad, passando pelo João Doria Jr. e agora com Bruno Covas. O que acontece e qual a razão de não atendê-los?  São 350 empregados concursados, com famílias e obrigações, que estão preocupados o que vai acontecer com a SP Turis. O governo municipal já tem criada a Secretaria Municipal de Turismo, sob o comando de Orlando Lidório de Faria.

Mas “efetivamente” o que acontecerá com os funcionários? Qual é o planejamento? O que já foi esclarecido sobre o assunto? Quando o prefeito e o Secretário  Wilson Martins Poit terão a reunião com representantes dos empregados? Quais os próximos passos na privatização do Parque do Anhembi, já que audiência pública de ontem  fez somente  um levantamento, mas não estipulou outra reunião. Quando está marcada a próxima audiência pública e qual será o tema? Solicitamos também uma declaração do Secretário Poit sobre o assunto, até (quem sabe) para tranquilizar os funcionários.”

Respostas evasivas === Cerca de 7 horas após, exatamente às 18h10,  a Redação do DiárioZonaNorte recebeu o e-mail com resposta através da Secretaria Especial de Comunicação-Secom, que não atende todos os questionamentos do jornal (ver acima) :

<na íntegra>  “A Secretaria de Desestatização e Parcerias informa que realizou na manhã de ontem, 29 de outubro, uma audiência pública sobre o processo de alienação do controle acionário da Prefeitura de São Paulo na Companhia São Paulo Turismo. O evento, realizado na B3 – Brasil, Bolsa, Balcão, contou com a presença de aproximadamente 100 pessoas.  Na ocasião, foi mostrada uma apresentação com o contexto da operação, descrição e visão operacional da empresa, visão geral do mercado de eventos, estrutura da operação de venda, intervenções urbanas que o novo dono deverá executar no entorno do Anhembi e um cronograma. No material, foi demonstrada a situação financeira da empresa com cancelamento de contratos nos últimos cinco anos, a queda gradativa da taxa de ocupação do espaço e o alto volume de recursos que a Prefeitura consequentemente precisa aportar na empresa. Os presentes puderam se manifestar com ideias e sugestões quanto ao processo de privatização em curso. Nos próximos dias, a ata da audiência será publicada em Diário Oficial bem como as respostas para todas as indagações registradas. O secretário de Turismo, Orlando Lindório, solicitou o agendamento de uma reunião com uma comissão de funcionários”.  (Nota da Redação: na verdade, quem pediu – e está pedindo – são os funcionários da SP Turis, que já receberam e agendaram a data de 07/11/2018, 4ª feira, às 11 horas, com o Secretário Lindório, do Turismo)

Por cima, o supérfluo === Na segunda parte do e-mail através da Secom, foram encaminhadas informações sobre a licitação, conforme segue: “Dando continuidade ao processo de venda, foi publicado hoje (30/10) para consulta pública, o edital de licitação para a alienação das ações da Prefeitura na São Paulo Turismo. O documento ficará disponível para consulta por 15 dias e as sugestões, opiniões ou críticas feitas por escrito deverão ser dirigidas à Secretaria Municipal de Desestatização e Parcerias e poderá ser encontrado aqui  .

Sobre a venda ==  A licitação terá por objeto a venda em lote único da totalidade das ações de titularidade do Município de São Paulo e o certame será processado na B3. O preço mínimo, condições de pagamento e demais informações serão divulgadas no edital final de licitação. Para participar do leilão, os investidores deverão atender ao exigido no edital e no Manual de Instruções, que será divulgado pela B3. Será realizada a análise das  condições de habilitação do licitante vencedor, que deverá comprovar sua qualificação jurídica e econômica financeira, bem como a sua regularidade fiscal e trabalhista. O edital final será lançado ao mercado no final de novembro e o leilão, deve ocorrer em janeiro”.

Ainda há esperança === Enquanto isto, entre perguntas e respostas evasivas, os funcionários aguardam a reunião da próxima do dia 7 de novembro. E ficam na esperança que algo de concreto possa ser dito e levado à uma solução aos funcionários concursados, que se dedicam à SP Turis.

———————————-

(*) Histórico/Pq. e Complexo Anhembi:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Anhembi_Parque

Releia as reportagens sobre o Parque/Complexo Anhembi veiculadas no DiárioZonaNorte:

Câmara Municipal aprova privatização do Anhembi – 06/12/2017

Mais um passo para privatizar o Anhembi – 21/12/2017

Projeto de Lei que aumenta o potencial construtivo do Anhembi passa em primeira votação na Câmara – 06/04/2018 

Audiência Pública discute regras de uso do Complexo do Anhembi – 17/04/2018   

Organicos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora