por Aguinaldo Gabarrão (*) 

=== Reinventar a vida aos cinquenta anos não é tarefa fácil pra ninguém, mas é sempre possível. E a comédia romântica francesa 50 são os novos 30 – título estranhíssimo escolhido pelos divulgadores – é uma deliciosa descoberta.

Abandonada pelo marido e demitida após 10 anos de empresa, Marie-Francine (Valérie Lemercier) vê o seu mundo cair subitamente. Ela volta a morar com os pais aos 50 anos de idade. Infantilizada por eles e incapaz de ter qualquer privacidade ela conhece Miguel, que enfrenta dilemas parecidos. Será que eles conseguirão seguir em frente para reconquistar a própria independência e construir um novo relacionamento juntos?

Meu mundo caiu… ===  A diretora Valérie Lemercier divide o roteiro com Sabine Haudepin e, de quebra, interpreta a protagonista, Marie-Francine, nome pomposo e que diz muito a respeito dessa personagem de meia idade que vê seu mundo pessoal e profissional desabar diante dos seus olhos.

História ágil, com diálogos bem construídos e inteligentes, aproxima o público dos dilemas de Marie, sem esbarrar em nenhum momento em clichês típicos do gênero. O retorno da protagonista à casa dos pais reserva momentos hilários, graças também ao ótimo desempenho da dupla Hélène Vincent e do veterano ator Philippe Laudenbach, que interpretam os pais e tentam controlar a vida de Marie como se ela fosse uma adolescente inconsequente.

Em busca do seu espaço === A aparente leveza da história não deixa de lado a situação inquietante em que Marie se encontra. Desempregada, aceita a ideia dos pais de trabalhar numa loja de cigarros eletrônicos e lá conhece Miguel, homem de meia idade, que tem em comum as mesmas frustrações com seu casamento, além de morar com os pais portugueses.

Ambos se aproximam e vivem um amor à princípio, quase adolescente. O ator Patrick Timsit (Miguel) transmite com grande elegância as agruras de perder o próprio negócio, sem jamais tornar-se amargo.

Conexão apurada ===  Embora o filme 50 são os novos 30 apresente duas personagens de meia idade, fracassadas nos seus projetos de vida, em nenhum momento a história cai no sentimentalismo barato. Pelo contrário, esses dissabores da vida acabam por conectar dois seres que, merecem a felicidade, da forma mais simples que uma comédia romântica pode possibilitar.

Mas, a grande diferença, é o charme e bom humor na maneira como a história conduz essas questões, onde ainda há espaço para a reconstrução de duas vidas, embaladas pelo fado da cantora portuguesa Amália Rodrigues.

Assista ao trailer do filme:

FICHA TÉCNICA

50 SÃO OS NOVOS 30 – (Título original: Marie-Francine) – Distribuição: CINEART Filmes

Direção: Valérie Lemercier / Roteiro: Valérie Lemercier e Sabine Haudepin / Fotografia: Laurent Dailland / Edição de Som: Paul Heymans / Montagem: Jean-François Elie / Produção: Edouard Weil ==  Elenco: Valérie Lemercier, Patrick Timsit, Hélène Vincent, Philippe Laudenbach e Denis Podalydes

Gênero: comédia romântica / Duração: 1 hora e 35 minutos / Cor: colorido

Classificação indicativa: 12 anos / País: França / Ano de Produção: 2017

Lançamento: 28 de Junho de 2018 (Brasil)


(*) Aguinaldo Gabarrão, ator. Trabalhou com diretores de diferentes estilos e gerações. Adora cinema. Atua também no segmento corporativo por meio de cursos, treinamentos e palestras com as técnicas do teatro.


Nota da Redação: As críticas publicadas neste espaço são de inteira responsabilidade de seus autores. As opiniões nelas emitidas não exprimem, necessariamente, o ponto de vista do “DiárioZonaNorte” e nem de sua direção.


 

ObraFácil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora